conecte-se conosco


Esporte e Saúde

Quem não toma café da manhã acumula mais gordura nas artérias

Publicado

er no cardápio do café da manhã apenas um café ou menor de 5% das calorias diárias (100 em uma de 2 mil recomendadas) pode aumentar os riscos de sofrer aterosclerose, o acúmulo de gordura no interior das artérias. A constatação é de um estudo do Centro Nacional de Investigações Cardiovasculares Carlos III (CNIC), em Madri, na Espanha, realizado em colaboração com o Banco Santander. A aterosclerose, até quando não apresenta sintomas, pode ser causa de um acidente vascular cerebral.

Os pesquisadores usaram nova tecnologia de ultrassom que produz ecografías precisas em 3D para medir o acúmulo de gordura nas artérias de 4 mil pessoas sem problemas cardiovasculares aparentes. Os voluntários, que tinham entre 40 e 54 anos, também responderam a um questionário detalhado sobre sua dieta durante os 15 dias anteriores à pesquisa.

Analisando seus dados, publicados na revista do Colégio Maericano de Cardiologia (JACC), os pesquisadores determinaram que apenas um quinto dos participantes tomava um café da manhã reforçado, com mais de 20% das calorias diárias, enquanto que 3% não fazia a primeira refeição do dia ou a fazia mal, consumindo menos de 5% das calorias diárias.

No primeiro grupo, 57 pessoas de cada 100 mostraram algum tipo de aterosclerose subclínica (sem sintomas), mas os casos aumentaram a quase 75 por cada 100 no segundo grupo.

Os resultados são independentes de outros fatores de risco cardiovascular, como obesidade, diabetes ou hipertensão. Além disso, tratando-se de alter esclerose subclínica generalizada — aquela que afeta ao menos quatro das seis artérias principais do corpo e, portanto, a mais séria — a incidência quase triplica mas pessoas que não tomam o café da manhã se comparadas àquelas que comem bem antes de sair de casa: passa de 10% dos casos a 29%.

Um café da manhã reforçado “acorda” o relógio biológico do corpo, responsável por regular a fome durante o resto do dia, acreditam os cientistas.

“Se não toma o café da manhã, o relógio biológico entra em caos”, afirmou Valentín Fuster, principal autor do estudo, que também é diretor do CNIC e editor da JACC. “Come-se mais tarde e ingere mais calorias do que deveria”. Essa seria uma razão para explicar porque também havia mais pessoas obesas ou com colesterol elevado no grupo que não se alimentava pela manhã.

No entanto, o estuo não estabelece se a primeira refeição do dia influencia diretamente na obstrução das artérias. Uma possibilidade é que o hábito de não comer venha ligado a um estilo de vida pouco saudável e, por isso, percebe-se essa associação entre o consumo calórico pela manhã e a saúde cardiovascular. Nesse caso, não tomar café da manhã poderia funcionar como um indicador para identificar pessoas que precisam fazer mudanças significativas em seu estilo de vida, apontou Vila Costa.

O grupo de participantes que pulava o café da manhã incluía, proporcionalmente, mais fumantes e consumidores assíduos de álcool e carne vermelha ou processados.

Fonte: Extra Globo

Comentários Facebook

Esporte e Saúde

Homem é detido por tentativa de furto de fiação elétrica no Mini Estádio Monte Líbano

Publicado

Mini estádio Monte Líbano- Foto: Ilcimar Aranhas/ Cidade Nos Esportes

Policiais militares de Rondonópolis (a 212 km de Cuiabá) prenderam na madrugada desta terça-feira (31.03), um homem por tentativa de furto, no bairro Monte Líbano.

Conforme o boletim de ocorrência, a denúncia via 190 relatava que um homem estaria tentando furtar a fiação elétrica do estádio.

No local, os policiais encontraram o homem escondido entre as arquibancadas. Ele alegou que estava no estádio para dormir, porém, os policiais perceberam que o suspeito carregava uma alavanca de ferro.

Na vistoria, os agentes encontraram as caixas de eletricidade dos postes dos refletores danificadas e os fios de energia e a tela de proteção cortadas.

Comentários Facebook
Continue lendo

Esporte e Saúde

Britânico passa por reconstrução facial após confundir tumor na pele com espinha

Publicado


Britânico Colin Davies passou por reconstrução facial após  câncer de pele
Reprodução/Daily Mail

Britânico Colin Davies passou por reconstrução facial após câncer de pele

Um homem foi submetido a uma reconstrução facial após confundir um tumor cancerígeno com uma simples espinha em sua cabeça. De acordo com o Daily Mail
, Colin Davies, de 66 anos, procurou ajuda médica após perceber que o caroço em sua testa estava crescendo com o passar do tempo, descobrindo, assim, que tinha câncer de pele
já em estágio avançado.

Leia também: Conhece a harmonização facial? Conheça todos os detalhes

Davies relatou que, no início, não se preocupou com a pequena ‘bolinha’ vermelha que se alojou em sua testa, e que só procurou por um especialista ao notar um crescimento fora do comum no caroço, que ficou do tamanho de uma uva. Em pouco tempo, o câncer de Colin tomou conta de seu corpo, espalhando-se pelo pescoço, mandíbula, orelha e ombro direito, fazendo com que realizasse um procedimento de reconstrução facial
que durou 13 horas em uma clínica de Hartlepool, na Inglaterra

Reconstrução facial e o período de recuperação de Colin

O britânico explicou que, devido ao avanço do câncer de pele, teve grande parte de seu rosto removido. Ele também sofreu a perda do couro cabeludo, que foi substituído por uma placa de acrílico e um enxerto de pele retirado da perna, passando ainda por dois meses de radioterapia intensiva para erradicar o câncer.

Leia também: Pela primeira vez, EUA aprovam uso de medicamento à base de maconha

Depois de lutar contra 21 tumores durante 25 anos, o idoso decidiu compartilhar sua experiência a fim de motivar e encorajar pessoas que estão passando pela mesma situação que viveu. Atualmente, livre do câncer, Colin se descreveu otimista e muito animado para o futuro.


Colin, de 66 anos, retirou 21 tumores de seu corpo
Reprodução/Daily Mail

Colin, de 66 anos, retirou 21 tumores de seu corpo

“Se o caroço não tivesse crescido, talvez passasse despercebido. Eu poderia ter morrido aos 41 anos se não fosse um bom observador. Lutei contra o câncer de pele por mais de 25 anos, passei por muitos momentos complicados, e finalmente posso afirmar que estou livre disso. Agora, quero contar a minha história para que as pessoas se cuidem e tenham em mente que não são invencíveis”, disse.

Davies alegou que apesar de ter conseguido reverter o quadro de câncer de pele, continuará com os cuidados e evitará ao máximo a exposição ao sol
, já que isso pode fazer os tumores retornarem.  

Leia também: Britânico sem órgão sexual ganha ‘pênis biônico’ após passar por 15 cirurgias

“Meu médico suspeita que meus anos de juventude, quando pescava abaixo do sol forte, podem ter influenciado na propagação da doença. Demorei dois anos para ser diagnosticado de fato, só sentia meu rosto dolorido e coçando. Depois desse período, perdi grande parte dele, e por isso tive que passar por uma reconstrução facial
e por implantes de próteses do meu canal auditivo. No momento, estou bem, e quero conscientizar as pessoas sobre os riscos e os cuidados que devemos ter com o câncer de pele”, concluiu.

Comentários Facebook
Continue lendo

Esporte Amador

Estadual

Mais Esportes

Mais Lidas da Semana