conecte-se conosco


Esportes

Jogadores da seleção de rugby apoiam projeto social do Recife

Publicado


.

Proporcionar que jovens carentes sonhem com uma vida melhor através do esporte, essa é uma das missões do Projeto Social Diamantes do Gueto, que, desde o início deste ano, investe no desenvolvimento de crianças e adolescentes na periferia de Recife. São três oficinas (rugby, jiu-jitsu e showzinho, atividades lúdicas para socializar jovens).

“Temos uma propagação gigante do futebol. Então, trabalhar com o jiu-jitsu e rugby é bem desafiador. No início, muitos meninos até acham que rugby é futebol americano. Mas, aos poucos, eles vão vendo e conhecendo mais a modalidade. Mostramos os valores envolvidos no esporte. A modalidade é uma ferramenta com um potencial gigantesco. É uma filosofia de vida para mudar a realidade dessas crianças e fazer com que corram atrás dos sonhos”, diz o idealizador do projeto, Abraão Silva de Melo.

Em setembro, a iniciativa que atende quase 200 crianças de 3 a 17 anos nas comunidades de Santo Amaro e Coque, ganhou importantes parceiros, os irmãos Daniel e Felipe Sancery, da seleção brasileira e do São José Rugby.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Um dia chegaremos lá! Quando nós entramos em uma comunidade para cuidar das crianças que habitam naquela localidade, nos deparamos com várias circunstâncias de vida difíceis, nas quais aqueles pequenos estão imersos. A tendência do Homem natural é desacreditar que daquele contexto possa surgir alguém com boas perspectivas de futuro. Tudo desfavorece eles de trilhar um caminho de sucesso e serem bem sucedidos na vida. Mas, porém, contudo, toda via… diante de todo esse cenário caótico e desanimador, brota em nós um sentimento diferente. Algo, ou melhor, ALGUÉM nos traz uma ótica diferenciada a este respeito. A história do nosso salvador JESUS é bem semelhante à história deles. Nasceu em um lugar de poucas ou nenhuma perspectivas, família pobre, mãe solteira… cumpria todos os requisitos para ser mais um suprimido pelos preconceitos, mas ao invés disso, veio para trazer cura e libertação, vida e vida em abundância para todos aqueles que são vítimas de sofrimento e que nEle crêem. JESUS CRISTO é o motivo e a motivação do nosso acreditar nessas vidas. A cruz foi a maior prova de amor! Jesus conseguiu, eles também vão conseguir. #missaodiamantesdogueto #missoesurbanas #missões #rugby #rugby? #rugby4life #rugbylife #rugbylife #rugbyunion #rugbyleague #rugbyplayer #brasilrugby #tupis #recife

Uma publicação compartilhada por Diamantes do Gueto (@missaodiamantesdogueto) em 24 de Fev, 2020 às 7:23 PST

Através de postagens nas redes sociais, os atletas conheceram e se identificaram com a história dos gêmeos recifenses Wandreys Silva e Wanderson Silva, que participam dos encontros de rugby em Recife. “Foi uma história que surgiu na primeira aula na comunidade. O vínculo dos gêmeos Silva com os Sancery foi automático. Cheguei para os meninos e apresentei a história dos Sancery. Disse que eles tinham potencial para também alcançarem a seleção brasileira. Mas precisavam seguir se dedicando nos treinos. Os garotos ficaram muito empolgados. Mostrei vídeos dos Sancery na seleção. Foi um estímulo gigante. Depois fizemos até uma montagem no Instagram com fotos dos jogadores da seleção e dos meninos aqui do projeto”, declarou Abrãao.

Foi através dessa postagem que a história chegou ao São José Rugby, clube de Felipe Daniel Sancery. “Participei de uma live com os garotos para falar dos valores do esporte e tudo mais. Foi o André Nogueira, ex-jogador e agora um dos administradores do São José Rugby, que teve a ideia de mandar as camisetas com o meu nome e o do meu irmão para os garotos. E deu muito certo. Muito bom ver essas crianças felizes e empolgadas para seguir no esporte. Sabemos das dificuldades que os Diamantes do Gueto enfrentam. E qualquer tipo de ajuda é super bem-vinda. Ninguém tem dúvida de que o jovem que tem contato com o esporte desde cedo tem uma mente mais aberta, consegue ter redes sociais mais amplas. Enfim, uma vida melhor”, declarou Felipe.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Os jogadores da seleção brasileira de rugby @fel_sancery e @dan_sancery , são irmão gêmeos e oriundos do clube @saojoserugby . Os irmãos Sancerys, conheceram e se identificaram com a história da nossa duplinha Wandreys Silva e Wanderson Silva, que também são gêmeos e participam da nossa oficina de rugby e decidiram, junto ao @saojoserugby , enviar um presente mais que especial para os irmãos Silva. Duas camisas oficiais de jogo do clube de origem deles. A entrega do presente foi bem inusitada. Acompanhem o vídeo! ?? #rugby #saojoserugby #gemeos #brasilrugby #presente #missaodiamantesdogueto #missoesurbanas #missões #recife #saojosedoscampos

Uma publicação compartilhada por São José Rugby Clube (@saojoserugby) em 8 de Set, 2020 às 1:39 PDT

“Quando menos esperávamos, recebemos o contato do clube e dos irmãos. Eles falaram que iam mandar as camisetas para a gurizada do nosso projeto. Foi uma bênção para todos nós. A molecada amou o presente. Sentiram-se muito valorizados. Eles sempre falam que estão guardando muito bem as camisetas. Só usam para vir à oficina de rugby”, comemora Abraão.

Edição: Fábio Lisboa

Comentários Facebook

Esportes

Japão adotará medidas para proteger Olimpíada de ataques cibernéticos

Publicado


O Japão anunciou nesta terça-feira (20) que adotará contramedidas para que a Olimpíada de Tóquio do ano que vem não seja prejudicada por ataques cibernéticos, depois que o Reino Unido e os Estados Unidos acusaram a Rússia de orquestrar esforços para tumultuar os Jogos. Os organizadores da Olimpíada não relataram nenhum impacto significativo em suas operações para os Jogos de 2020, que foram adiados para o ano que vem devido à pandemia de novo coronavírus (ocvid-19).

Na segunda-feira (19), Reino Unido e EUA criticaram o que disseram ter sido uma série de ataques cibernéticos mal intencionados orquestrados pela inteligência militar russa, incluindo tentativas de atrapalhar a Olimpíada e a Paralimpíada de Tóquio. O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, negou as acusações e as atribuiu à “russofobia”. Ele disse a jornalistas: “A Rússia nunca promoveu qualquer atividade de hackeamento contra as Olimpíadas”.

O secretário-chefe de gabinete japonês, Katsunobu Kato, não quis dar detalhes, mas disse que seu país fará todos os esforços para proteger os Jogos de possíveis tentativas de invasão virtual. “Não podemos fazer vista grossa a ataques cibernéticos mal intencionados que ameaçam a democracia”, disse Kato em uma coletiva de imprensa, acrescentando que o Japão está recolhendo e analisando informações e mantendo contato frequente com o Reino Unido e os EUA.  “A Olimpíada é um grande evento internacional que atrai atenção, e as medidas de segurança cibernética são extremamente importantes.”

Um porta-voz do Comitê Olímpico Internacional (COI) disse que a segurança cibernética é uma das maiores prioridades da entidade.

* Reportagem adicional de Tetsushi Kajimoto e Makiko Yamazaki

Comentários Facebook
Continue lendo

Esportes

EUA e Reino Unido denunciam Rússia por ciberataques contra Olimpíada

Publicado


O Reino Unido e os Estados Unidos condenaram nesta segunda-feira (19) o que chamaram de ciberataques que teriam sido orquestrados por agentes de serviços de espionagem russos, incluindo tentativas de atingir os Jogos Olímpicos de Tóquio.

Autoridades britânicas e norte-americanas afirmaram que os ataques foram conduzidos pela Unidade 74455 da agência de espionagem militar russa GRU, também conhecida como Centro Principal de Tecnologias Especiais. O Departamento de Justiça dos EUA afirmou que seis membros da unidade tiveram papéis importantes nos ataques contra alvos que variaram desde a Organização para a Proibição de Armas Químicas às eleições de 2017 na França. As acusações envolvem quatro anos de atividades entre 2015 e 2019.

As autoridades dos EUA não comentaram se o momento da revelação, há poucas semanas da eleição nos Estados Unidos, foi escolhido para alertar sobre a atividade de grupos de hackers apoiados por governos estrangeiros. Já autoridades britânicas afirmaram que os hackers do GRU também conduziram operações de “ciber reconhecimento” contra os organizadores dos Jogos Olímpicos de Tóquio, que seriam realizados neste ano, mas acabaram sendo adiado para 2021 por causa da pandemia do novo coronavírus (covid-19).

As autoridades britânicas se recusaram a dar mais detalhes sobre os ataques ou a afirmar se foram bem sucedidos, mas disseram que tinham como alvo os organizadores das Olimpíadas, fornecedores e patrocinadores. O secretário do Exterior do Reino Unido, Dominic Raab, afirmou que as “ações do GRU contra as Olimpíadas são cínicas e imprudentes. Condenamos elas nos termos mais fortes possíveis”.

O vice-diretor da polícia federal dos EUA (FBI) David Bowdich afirmou: “O FBI repetidamente tem alertado que a Rússia é um adversário altamente capaz em ciberataques e a informação revelada neste indiciamento ilustra como as atividades cibernéticas da Rússia são invasivas e destrutivas”.

Em dezembro de 2019, a  Rússia foi banida dos Jogos Olímpicos por quatro anos por causa de acusações de doping de seus atletas.

As autoridades britânicas e norte-americanas afirmaram nesta segunda-feira (19) que os hackers russos se envolveram em outros ataques, como o que comprometeu sistemas de computadores dos Jogos de Inverno em 2018, durante a cerimônia de abertura na Coreia do Sul. Este ataque comprometeu centenas de computadores, derrubou acesso à internet e interrompeu as transmissões de mídia.

Comentários Facebook
Continue lendo

Esporte Amador

Estadual

Mais Esportes

Mais Lidas da Semana