conecte-se conosco


Esporte Amador

Com três segundos para o fim, defesa do Hawks garante vitória sobre Sorriso Hornets

Publicado

Foto: Omar-Tracy Ham Schrock

Com estilos de jogo diferentes Rondonópolis Hawks e Sorriso Hornets mostraram em campo a força do futebol americano jogado em Mato Grosso, enquanto o quarterback Edilson Leite do Hornets de forma clássica optava por jogadas de passes do outro lado Matheus Barozzi que substituía o quarterback Bozo machucado, surpreendia a defesa adversária com corridas explosivas.

Para o head coach Eduardo Narvaes a chave para o triunfo diante do forte Sorriso foi o plano defensivo funcionar. “Nossa defesa voltou a jogar e ser a defesa que foi no ano passado, com união e muita alegria de jogar. Já temos que pensar no próximo jogo, onde o Hornets continua sendo o favorito, onde temos que nos preparar para uma viajem longa, eles vão estar mordidos pela derrota, mas nosso objetivo é ganhar”, comentou.

Já o técnico principal do Sorriso Hornets Paulo Barcelos destacou o alto nível da partida, demonstrando a forte preparação dos times do estado. “Esta divisão exclusiva de times de Mato Grosso é muito equilibrada, para nós é muito gratificante jogar com grandes equipes como o Hawks, Arsenal e Coyotes. Com resultado ficou tudo embolado e não temos tempo para lamentar a derrota, agora é planejar para o próximo confronto”, disse.

Um dos destaques do ataque, com quase 200 jardas corridas, um passe para touchdown e dois tds corridos por ele, o quarterback Matheus Barozzi definiu a vitória como no melhor estilo Rondonópolis Hawks. ” No Hawks é sempre assim de forma sofrida, essa vitória veio nos últimos segundos e mesmo jogando contra um time duro e com excelentes jogadores nós conseguimos jogar melhor e vencer. Hoje estamos satisfeitos com o que entregamos em campo, agora é treinar para o próximo compromisso e manter o nível de jogo”. Completou.

O Rondonópolis Hawks volta a campo pela BFA 2019, no final do mês diante do mesmo Sorriso Hornets, com as datas entre 31 de agosto ou 01 de setembro.

O jogo

No primeiro quarto de muito estudo, as defesas levaram a melhor e o placar ficou em branco, com algumas trocas de posse de bola.

No segundo quarto, a partida acelerou e o time visitante abriu os trabalhos com um passe do Qb Leite de 40 jardas dentro da end zone para o recebedor Diego Luiz, com ponto extra convertido, 7 a 0 Hornets.

Em seguida o Hawks diminuiu, em jogada rápida no meia do campo, Barozzi lançou para Tra Fletcher na linha de 30 jardas que apenas correu em direção a end zone, o ponto extra foi bloqueado pelo times de especialistas do Sorriso, 7 a 6.

No final do primeiro tempo, na tentativa de conexão com Tra Fletcher na red zone, Matheus Barrozi foi interceptado, mas que não resultou em nada com o relógio marcando o fim do segundo quarto.

Na volta do intervalo, a impressão é que o time visitante veio disposto a definir o jogo e ai apareceu pela primeira vez na BFA 2019 a defesa do Hawks, com intensidade e marcando o perigoso jogo aéreo do Hornets. Um exemplo foi do fumble forçado duas vezes na mesma jogada na linha de 20 jardas do campo defensivo, o que resultou em um td após corrida 55 jardas do quarterback Barrozi quebrando vários tackles e colocando o Hawks na frente, com outro ponto extra bloqueado, 12 a 07 Hawks.

Em uma campanha recheada de faltas do Sorriso, o Rondonópolis Hawks aproveitou para ampliar a vantagem e com Matheus Barozzi na linha de 10 jardas aproveitou os bloqueios e entrou fácil na end zone, na tentativa de conversão não houve sucesso, 18 a 07 Rondonópolis.

O ultimo quarto da partida reservava as maiores emoções do jogo, e o Hornets perdendo por duas posses de bola tratou de diminuir o placar como passe de Leite para recebedor que com um bloqueio fundamental foi para end zone e tendo sucesso na conversão de dois pontos, 18 a 15.

Com três minutos para fim do jogo, Ourique entrou na posição de quarterback e o objetivo era claro gastar o relógio. Mas lançou para a interceptação e o Hornets voltaram para o jogo sem sucesso parados pela atenta defesa do time da casa.

Com a posse de bola, o Hawks chegou na red zone adversária e com pelo menos 14 snaps e muitas faltas do Hornets não conseguiu pontuar e ainda sofreu uma interceptação retornada para td,  feito realizado pelo americano Terrence Bailey, linebacker, com ponto extra convertido o Hornets virou a partida a pouco mais de um minuto para fim, 22 a 18 Hornets.

Mas a resposta veio na jogada seguinte, na devolução da bola para o ataque do Hawks, o recebedor Tra Fletcher saiu da lina de 18 jardas para correr até a end zone e virar o placar novamente, na jogada ele contou com bloqueios essenciais para marcar o Td, com ponto extra convertido por Zé Vitor, 25 a 22 Hawks.

Com relógio marcando 3 segundos para fim, a ultima tentativa do time visitante, Leite tentou o passe no fundo da end zone, mas foi defletado pelo coner Toni que garantiu a vitória do Rondonópolis Hawks por 25 a 22.

Comentários Facebook

Esporte Amador

Atleta PetGol de Rondonópolis luta para realizar o sonho do pai que faleceu de Covid-19

Publicado

Ser forte com a ausência do pai Zenon dos Anjos é uma forma de conduzir a vida para a carreira profissional futebolística pelo jovem atleta

Petterson acompanhado pelo pai Zenon nos treinos de futebol- Foto: Assessoria

A Covid-19 transforma o dia-a-dia de famílias enlutadas pela perda de um ente familiar. A superação pela morte é um dos desafios a serem enfrentados pelos parentes e amigos próximos. Em Rondonópolis (MT), com apenas 14 anos, o adolescente Petterson Roberto dos Anjos Aguiar, conhecido por PetGol, já vive essa experiência dolorosa, ao perder há duas semanas o seu pai, Zenon Roberto dos Anjos Alves, 43 anos, para o novo coronavírus.

Zenon era um fanático torcedor pelo time do Flamengo, sempre foi um pai presente na vida de Petterson. Aos oitos anos de idade, o adolescente pediu ao pai fazer a sua matrícula em uma escola de futebol. “Meu pai tinha um sonho de eu me tornar um jogador de futebol e, também, é um desejo meu. Ele foi e continua sendo a minha inspiração. Ele que me levava e buscava nos treinos diários. Agora, fica o vazio de não ter a sua presença física em casa e na minha rotina”, desabafa.

Recomeço

Petterson lembrou do pai no retorno aos treinos na academia de futebol de Rondonópolis- Foto: Assessoria

PetGol já definiu o seu nome para carreira profissional ainda não constituída, mas repleta de esperança, dedicação e determinação para alcançar o sonho de seu pai em se tornar um atleta profissional no futebol. Ele diz que há seis anos treina em uma academia para formação de atletas no ramo de futebol, em Rondonópolis.

“Hoje sou atleta de base na academia. A minha expectativa é poder fazer a vontade de meu pai e torná-la realidade. Ele ficava muito feliz de me ver jogar e marcando gol. É triste não tê-lo ao meu lado, mas temos que ser fortes e não ficar chorando, pois ele era muito alegre e sabia viver a vida”, esclarece Petterson.

Ele explica que os treinos recomeçaram há uma semana, devido a pandemia da Covid-19, haviam sido suspensos. As atividades físicas são diárias, com duração de duas horas. “Tem momentos que não acredito que ele não está mais aqui. Minha ficha ainda não caiu. Mas, estou com o pé no chão. É uma forma de me tornar um jogador profissional do futuro. Sempre fui nas partidas de futebol aqui na cidade com ele. Quero superar da melhor forma e saber que ele olha para mim lá de cima”, diz.

Histórico Familiar – Petherson estuda o 8° ano, na Escola Sagrado Coração de Jesus. Também, é matriculado em escola de inglês para já ficar preparado para a futura carreira que almeja concretizar.

Já Zenon Roberto, era vendedor de uma grande empresa no ramo alimentício, casado com Simoni Aguiar da Peixaria do Nêgo. Ele também era pai de Anna Vitória Aguiar, de apenas sete anos. Ele era filho de pioneiros de Rondonópolis, a professora aposentada Maria de Lourdes dos Anjos e Gerson Alves e era irmão do policial civil da PJC-MT, Marcio Henrique (Cikatriz) e do músico Éder dos Anjos, da dupla sertaneja raiz Éder e Cícero Viola.]

Por Samantha dos Anjos

Comentários Facebook
Continue lendo

Esporte Amador

Desportista comemora obras nos mini estádios em Rondonópolis mas faz observação

Publicado

Aparecido de Souza ‘Cidão’ e o desportista Baianinho- Foto: Assessoria

O desportista  e presidente do Departamento de futebol Amador da Vila Operária (DFAVO) Aparecido de Souza ‘Cidão’, comemora a execução das obras que vêm sendo realizada pelo executivo municipal através da Secretaria de Esporte, no que tange ás reformas dos mini estádio da cidade de Rondonópolis, em especial Mané Garrincha e Pinheirão.

Cidão ressaltou a importância da reforma das praças esportivas, pois há anos, os desportistas cobravam pela revitalização dos campos de futebol, mas faz algumas observações em relação às reformas. Há mais de 20 anos militando no futebol amador  e organizando as competições amadoras de futebol, Cidão cobra do gestor municipal, aproveitando as reformas, que instale nos mini estádios poços artesianos, para que no período de seca, tenha condições de molhar os gramados, haja vista que na maioria do mini estádios não possuem poços.

Outra reivindicação do desportista é a drenagem do campo do Mini Estádio Pinheirão que também está em reforma,  e em épocas de chuvas, o alagamentos é inevitável  no gramado do Pinheirão devido a falta de drenagem.

De acordo com Cidão, a obra não contempla a tal drenagem e teme que nas próximas chuvas, não poderá ter partida de futebol no local devido ao alagamento que causa  no gramado.

Veja Mais:  Milton Neves é internado após passar mal durante atração da Band

“Fico contente em ver as reformas dos mini estádio de Rondonópolis, são excelentes obras que vêm de encontro com o anseio dos amantes do futebol amador. Mas penso que para prolongar a durabilidade dos gramados, poderiam junto às reformas implantar poços artesianos para molhar os campos, apenas o mini Estádio Pinheirão tem poço artesiano, os demais não tem, e nessa época de seca o gramado novo, a tendência é secar e danificar. Falo por experiência própria, pois já vivenciamos isto em outras gestões e organizamos competições há mais de 20 anos”. Disse Cidão.

Por outro lado a prefeitura de Rondonópolis por meio da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer, já reformou o Mini Estádio do Monte Líbano, e está finalizando as obras o Mini Estádio do Jardim Iguaçu, Pinheirão, e recentemente iniciou as reformas do Jardim Atlântico e Mané Garrincha. A previsão é que até os próximos meses as praças esportivas sejam entregues totalmente revitalizadas para a população.

Comentários Facebook
Continue lendo

Esporte Amador

Estadual

Mais Esportes

Mais Lidas da Semana