conecte-se conosco


Esportes

Coluna – Novo patamar

Publicado

A presença de Daniel Dias entre os 100 maiores atletas homens do século 21, em lista feita pela equipe do jornal espanhol Marca, tem grande representatividade ao paradesporto, não só no Brasil. À Agência Brasil, o próprio nadador resume: “Estão nos reconhecendo como a gente sempre quis: como atletas, ponto”.

O paulista de 32 anos é o único representante do esporte adaptado na lista. Ao mesmo tempo, é prova da mudança de perspectiva do movimento, ao ter enaltecida as 24 medalhas conquistadas nas três Paralimpíadas que disputou – média de oito por edição. Tanto que o artigo sobre o brasileiro, pulbicado na última quinta-feira (12) no periódico Marca, destaca que nos Jogos de Tóquio (Japão) em 2021, o brasileiro pode superar os 28 pódios olímpicos alcançados pelo norte-americano Michael Phelps – justamente o escolhido como atleta do século 21, com quem o brasileiro é comparado. É interessante observar que não se fez, aí, distinção de tamanho ou importância entre olímpico e paralímpico.

A Espanha não é exatamente uma potência paralímpica. Na verdade, o país teve uma queda no quadro de medalhas de 2004  (total de 71, sendo 20 douradas) para 2016 (31, nove de ouro). Porém, quando os Jogos foram lá, em 1992 (Barcelona), os espanhóis abraçaram o evento, reunindo cerca de 65 mil pessoas na cerimônia de abertura e outras 1,5 milhão durante a realização as disputas. Parece pouco quando se lembra que, no Rio de Janeiro, foram mais de 2,1 milhões de ingressos vendidos. Há de se ponderar, no entanto, o número de países participantes (82 em Barcelona, 159 no Rio) e de modalidades (15 na edição espanhola, 22 na brasileira).

“Chama atenção quando você tem o reconhecimento em um país no qual a visibilidade do paradesporto é bem diferente do Brasil. Se for comparar, sou mais conhecido por aqui do que que fora, mas eles também valorizam atletas que têm suas conquistas. Eles podem não me conhecer por eu ser de outro país, mas, com certeza, já ouviram falar”, analisa.

O nadador Daniel Dias é um dos brasileiros com chance de conquistar medalha neste sábado (Divulgação/Comitê Paralímpico Brasileiro) O nadador Daniel Dias é um dos brasileiros com chance de conquistar medalha neste sábado (Divulgação/Comitê Paralímpico Brasileiro)

Jornalista espanhola  Almudena Rivera considera que Daniel Dias se consagrou na Paralimpíada de Londres (2012), ao faturar oito ouros  – Divulgação/Comitê Paralímpico Brasileiro

 

Há outros detalhes que engrandecem o feito. O futebol é o esporte mais popular na Espanha. O maior clube do século passado pela Fifa (Real Madrid) e aquele mais vitorioso de 2001 para cá no mundo (Barcelona) são de lá. Não é de se estranhar que entre os cinco brasileiros que aparecem na lista do periódico Marca, os dois primeiros venham do esporte bretão: Ronaldo e Ronaldinho. O primeiro teve passagem marcante pelos dois gigantes espanhóis. O segundo foi ídolo no Barça e até aplaudido em Madri pela torcida rival. Ambos campeões mundiais e ganhadores do prêmio de melhor jogador do mundo.

Significa dizer que, para o jornal espanhol Marca, entre os atletas brasileiros, Daniel só está atrás dos dois jogadores quando se trata de relevância no mundo esportivo no século 21.  O nadador é considerado, portanto, o principal nome do país fora do futebol.  Daniel Dias está à frente, por exemplo, de Giba, ídolo do vôlei nacional e membro da vitoriosa geração dos anos 2000, dirigida por Bernardinho. Ele supera, também, aquele tido como maior jogador da história do futsal, Falcão.

No recorte da natação, Daniel também se destaca: é o terceiro entre os oito selecionados para o top-100. Na frente dele, aparecem apenas Michael Phelps e o australiano Ian Thorpe, astro das piscinas no início deste século. O brasileiro deixa para trás gente como o holandês Pieter van den Hoogenband, o norte-americano Ryan Lochte e o japonês Kosuke Kitajima – todos recordistas mundiais e campeões olímpicos.

Em qual momento teria o nadador paulista se credenciado para esse “olimpo”? No artigo sobre Daniel Dias, assinado pela jornalista Almudena Rivera, o destaque é o desempenho dele na Paralimpíada de Londres (Reino Unido), em 2012. “Foram os jogos de sua consagração. Banhou-se em ouro nas seis vezes que mergulhou na piscina e estabeleceu quatro novos recordes mundiais”, cita o texto, enaltecendo-o “por demonstrar, uma vez mais, sua maestria nos quatro estilos”.

Não é coincidência que essa edição tenha sido a que mais holofotes depositou em Daniel. O próprio atleta considera que a competição em Londres mudou a maneira como o mundo enxergava o esporte adaptado. “Ali, começa a ter uma virada, a mídia a divulgar mais. Foram Jogos diferentes de Pequim (China, em 2008). No Brasil, a gente teve um boom em 2016, do público conhecer mais, mas, vejo que a mídia começou a mudar a forma de ver o paradesporto em 2012”, destaca.

De fato, a Paralimpíada de Londres foi transmitida para 115 países, com 3,8 bilhões de telespectadores acumulados. Quatro anos antes, em Pequim, 80 nações puderam acompanhar o evento. Além disso, em 2016, o Comitê Paralímpico Internacional (IPC, sigla em inglês) divulgou que a audiência acumulada dos Jogos cresceu 127% em 12 anos, ou seja,  entre as edições de 2004 em Atenas (Grécia) e a Rio 2016. Já as disputas na capital fluminense foram acompanhadas por 4,1 bilhões de telespectadores no planeta. Por aqui, a TV Brasil transmitiu as brigas por medalha ao vivo, inclusive, as nove conquistadas por Daniel Dias.

Há um último detalhe a ser mencionado sobre a presença de Daniel no top-100: entre os brasileiros, ele é o único ainda em atividade. Ou seja,  em uma futura atualização dessa lista, ele pode até subir mais alguns degraus – quem sabe, logo após os Jogos de Tóquio, adiados para o ano que vem. Após quase dois meses e meio longe da água devido às restrições de treinamento impostas pela pandemia do novo coronavírus (covid-19), o nadador conseguiu recomeçar os treinos em Bragança Paulista (SP), onde medidas de flexibilização da quarentena já entraram em vigor. Na cidade de São Paulo, a reabertura do Centro de Treinamento Paralímpico para atividades físicas ainda não foi autorizada.

“Foi um momento bem difícil na vida de todo mundo. Os atletas também foram muito afetados, mais de 70 dias em casa sem poder, no caso, entrar na piscina. Fazia alguma coisa (de exercícios) em casa, mas não se compara. A gente teve que manter uma rotina e ter esperança, pensamento positivo, aproveitar para estar com a família. Em Bragança, graças a Deus, já foi possível voltar e nossa equipe, não só eu, já pensar em Tóquio 2021, traçar um planejamento e conseguir executá-lo”, conclui.

Edição: Cláudia Soares Rodrigues

Comentários Facebook

Esportes

Marcelo Lomba garante empate do Inter contra o São Paulo no Brasileiro

Publicado


.
Em noite inspirada do goleiro Marcelo Lomba, o Internacional segurou o São Paulo, com um jogador a menos, por mais de 30 minutos, e saiu do Beira-Rio com o empate em 1 a 1. Com o resultado, o Colorado deixou escapar a oportunidade de alcançar a liderança da Série A do Campeonato Brasileiro, e agora soma 21 pontos, permanecendo na segunda posição. O Tricolor dorme na terceira colocação, com 19 pontos.

O jogo começou muito equilibrado, com as duas equipes chegando com perigo ao ataque. Quem abriu o placar foi o Internacional, aos 19 minutos. Moisés avançou com liberdade pela esquerda e cruzou na medida para Thiago Galhardo. O camisa 17 subiu entre os dois zagueiros do Tricolor e, de cabeça, marcou o primeiro. Foi o nono gol do artilheiro do Brasileirão.

O São Paulo não sentiu o revés e partiu para cima. O empate veio aos 25 minutos. Reinaldo cobrou falta pela direita de ataque, Pablo desviou de cabeça e Luciano, de coxa, arrematou para o fundo das redes do Inter. O ritmo do jogo caiu depois do gol do Tricolor, e as duas equipes foram para o intervalo com o 1 a 1 no placar.

O segundo tempo começou com o São Paulo controlando as ações e levando muito perigo. Marcelo Lomba teve que fazer duas boas defesas nos primeiros minutos, uma em chute de Tchê Tchê e a segunda em cabeçada de Diego.

Aos 14 minutos, o Internacional praticamente perdeu a possibilidade de vencer. Zé Gabriel fez falta violenta em Igor Gomes e recebeu o cartão vermelho. Com um a menos, o Colorado passou todo o restante do confronto na defesa para evitar a virada tricolor.

O São Paulo quase marcou aos 41 minutos. Igor Vinícius recebeu livre na área, pela direita e finalizou por baixo. Marcelo Lomba salvou o colorado e jogou a bola para escanteio.

Aos 49 minutos, o goleiro do Inter fez um milagre no Beira-Rio. Paulinho Boia cruzou pela direita na segunda trave. Daniel Alves apareceu para cabecear forte, no contrapé de Marcelo Lomba, que mostrou incrível reação para salvar o Colorado e garantir o empate em 1 a 1.

Ouça na Rádio Nacional

 

Na próxima rodada, o Inter faz o clássico com o Grêmio, sábado (03/10), às 17h, na Arena do Grêmio. O São Paulo enfrenta o Coritiba, domingo (04/10), às 16h, no Couto Pereira.

Além de Internacional e São Paulo, Athletico-PR e Bahia também entraram em campo neste sábado pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Furacão venceu por 1 a 0, com gol de Christian, aos 24 minutos do segundo tempo. O Esquadrão de Aço ainda perdeu um pênalti, com Clayson, defendido por Santos, aos 37 minutos.

Neste domingo (27), o Vasco enfrenta o Bragantino, às 11h, em São Januário. Às 18h15min teremos duas partidas: o Ceará recebe o Goiás, no Castelão, em Fortaleza (CE), e Atlético-GO e Botafogo duelam no Estádio Olímpico, em Goiânia. Este último será transmitido pela Rádio Nacional, a partir das 18h,  com narração de André Luiz Mendes, comentários de Mário Silva, reportagem de Maurício Costa e plantão de Bruno Mende. Acompanhe por aqui: 

Fechando o dia, Santos e Fortaleza entram em campo às 20h30min, na Vila Belmiro.  A grande dúvida para amanhã é confronto entre Palmeiras e Flamengo, inicialmente marcado para 16h, no Allianz Parque. Por enquanto, o jogo está suspenso pelo Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro (TRT-RJ).

A 12ª rodada termina apenas na segunda-feira (28), com o embate entre Fluminense e Coritiba, às 20h, no Maracanã.

Confira AQUI a tabela de classificação da Série A do Campeonato Brasileiro.

Edição: Cláudia Soares Rodrigues

Comentários Facebook
Continue lendo

Esportes

Série B: Paraná cede a empate contra Brasil de Pelotas no fim do jogo

Publicado


.

A 11ª rodada da Série B teve mais dois jogos no início no fim da tarde e início da noite deste sábado (26). Com pouca emoção e gols nos últimos momentos da partida, Brasil de Pelotas e Paraná empataram em 1 a 1, no Estádio Bento Freitas. Com o resultado, o Tricolor perdeu a oportunidade de assumir a liderança da Série B, ficando com 21 pontos, na segunda posição. O time gaúcho chegou aos 14 pontos e ocupa provisoriamente a 11ª colocação.

Em Salvador, o Vitória venceu o Oeste, de virada, por 3 a 1, no Barradão, em Salvador (BA). Com o resultado, o Rubro-Negro chegou a 17 pontos e, por enquanto, ocupa a sétima posição na tabela. O Oeste permanece na lanterna do campeonato, com apenas seis pontos em 11 partidas disputadas.

Emoção só no fim 

Jogando debaixo de chuva, Brasil de Pelotas e Paraná fizeram um jogo equilibrado, sem muitas chances claras de gol para as duas equipes. Tudo mudou nos momentos finais do segundo tempo. Aos 32 minutos, o Tricolor abriu o placar em um bom contra-ataque pela direita que terminou com a finalização precisa de Renan Bressan.

A chuva apertou e o Brasil conseguiu o empate. Aos 40 minutos, Rodrigo Ferreira soltou a bomba de fora da área, no cantinho direito de Alisson, para deixar tudo igual.

Na próxima rodada, o Paraná recebe a Chapecoense, terça-feira (29), às 21h30min, no Durival Britto, em Curitiba (PR). O Brasil de Pelotas pega o Confiança, quarta (30), às 16h30min, no Batistão, em Aracaju (SE).

Edição: Cláudia Soares Rodrigues

Comentários Facebook
Continue lendo

Esporte Amador

Estadual

Mais Esportes

Mais Lidas da Semana