conecte-se conosco


Esporte e Saúde

Bebeu água? Saiba a importância da hidratação na prática esportiva

Publicado

Assim como o planeta Terra, a maior parte do corpo humano também é formada por água. A substância conhecida quimicamente pela famosa fórmula H2O é de suma importância para o funcionamento do organismo, tanto para pessoas comuns, como principalmente, para atletas. Em Porto Velho, capital de Rondônia, esse cuidado deve ser redobrado, já que as temperaturas costumam ultrapassar facilmente os 30 graus. Em especial, nesta época do ano, conhecida como verão amazônico, é comum ver dias ensolarados e com temperaturas perto dos 40 graus.

Então, a máxima de se ingerir, no mínimo, dois litros de água por dia, para cada pessoa manter-se hidratada, é válida e ainda precisa ser reforçada. Segundo a nefrologista Tatiara Bueno, essa conta muda conforme cada organismo e região. Para uma pessoa que vive na Região Norte do país, a especialista afirma que o consumo deve ser dobrado: aproximadamente quatro litros de água por dia. Isso por causa do calor intenso, que faz com que o organismo elimine água para manter a temperatura corporal ideal, que gira em torno dos 36º a 37º.

No caso específico dos praticantes de exercícios físicos, as atividades podem acarretar em uma perda de dois litros de água por hora. Os esportistas de caminhadas, por exemplo, devem realizar hidratação com água regularmente. Já os atletas de alto rendimento, que suam com maior intensidade, é necessária a reposição dos chamados eletrólitos, que são os isotônicos.

Quando o músculo é lesionado, há a liberação de algumas substâncias no sangue, que indicam rabdomiólise
Tatiara

– Para os não atletas, também é necessária uma hidratação, para que não haja danos musculares, ou até mesmo dor de cabeça ou confusão mental. Já os atletas de alto rendimento desidratados podem ter lesão muscular, que pode ser só uma distensão ou um edema no músculo. Quando o músculo é lesionado, há a liberação de algumas substâncias no sangue, que são filtradas nos rins, como a mioglobina, o potássio e o fósforo. Isso indica um quadro de rabdomiólise, que é a quebra das células musculares – explica Tatiara.

A nefrologista também conta que a mioglobina passa pelo rim e causa uma lesão no órgão. A alteração na função renal é aguda e tem que ser tratada o quanto antes. Isso pode ocorrer quando o paciente nota que a urina fica mais escura depois de um exercício.

– Muitas vezes, este fato não é diagnosticado, porque não são feitos alguns exames e isso acaba se resolvendo, mas, em alguns casos, o paciente tem que internar e ter o tratamento mais rigoroso, para ajudar o rim a se recuperar da lesão.

A atividade física intensa causa desgaste por impacto e diminui a chegada de potássio no músculo, fazendo com que ele trabalhe de maneira anaeróbica, o que causa morte celular. A desidratação somada à perda de sódio causa as famosas cãibras. Ocorrem, também, as dores de cabeça. Esse terrível incômodo acontece por falta de água no cérebro, porque o sangue é desviado para a pele, com o objetivo de expelir o calor. Isso faz com que o órgão conhecido por ser o maior do corpo humano fique com o aspecto avermelhado.

Tatiara faz ainda um alerta quanto ao uso indiscriminado de anti-inflamatórios. Os remédios, muito utilizados por atletas com quadro rabdomiólise, podem causar uma lesão importante no rim, além de úlcera e disfunção renal, podendo o paciente chegar até a hemodiálise.

Voltando à agua, a falta da substância no corpo de um atleta também pode causar disfunção metabólica, o que leva à exaustão, podendo o atleta não conseguir praticar o exercício desejado.

BENEFÍCIOS DA HIDRATAÇÃO

A hidratação potencializa a capacidade física, mantendo a atividade cognitiva e a capacidade muscular em sua totalidade. Assim, evita-se as temidas dores de cabeça, cãibras, lesões musculares e ainda pode-se aproveitar os exercícios, sentindo aquela velha e boa sensação de bem-estar, causada pela liberação de endorfina, entre outros hormônios.

Jonifferson Mendes (Foto: Jonifferson Mendes/Facebook)Jonifferson Mendes, triatleta de Rondônia (Foto: Jonifferson Mendes/Facebook)

– Faço hidratação com acompanhamento nutricional. No ciclismo, a minha hidratação é maior. Na corrida, recebo o apoio da família ou de amigos e na natação, faço a ingestão de líquidos como isotônicos e água nos intervalos – garante o triatleta rondoniense Jonifferson Mendes, explicando como se hidrata nas competições da modalidade que disputa e ressaltando que ingere de 3,5 a 4 litros de água por dia, normalmente.

Marília Coimbra (Foto: Marilia Coimbra/Facebook)Marilia Coimbra, educadora física em Porto Velho (RO) (Foto: Marilia Coimbra/Facebook)

E são esses quatro litros de água que são essenciais para o bom funcionamento do organismo das pessoas que vivem em Rondônia, segundo a nefrologista Tatiara, que destaca ainda que a boa hidratação também evita doenças como infecção urinária.

– Nunca deixei o meu rendimento cair por falta de líquido. É importante dizer que um período quente como o que estamos vivendo em Porto Velho torna a hidratação ainda mais essencial e benéfica para nós – frisa Jonifferson.

Outra que também é categórica sobre a relevância de hidratar o corpo é a educadora física Marilia Coimbra. A profissional, muito conhecida no mundo fitness de Porto Velho, alerta para a importância da hidratação, antes, durante, e depois das atividades.

– A hidratação é necessária devido ao suor. A atividade física estimula os poros, que se abrem para a perda de água, que é feita pelo organismo para a diminuição da temperatura corporal. É necessária a ingestão de água, ou isotônicos, em todas as fases dos exercícios, mas isso tem que ser em pequenas quantidades e não tudo de uma vez. Inclusive, para aqueles que terminam de praticar atividade física e vão logo tratando de beber uma garrafa de água, digo que isso não é o ideal – alerta a educadora.

Fonte: Eu Atleta

Comentários Facebook

Esporte e Saúde

Homem é detido por tentativa de furto de fiação elétrica no Mini Estádio Monte Líbano

Publicado

Mini estádio Monte Líbano- Foto: Ilcimar Aranhas/ Cidade Nos Esportes

Policiais militares de Rondonópolis (a 212 km de Cuiabá) prenderam na madrugada desta terça-feira (31.03), um homem por tentativa de furto, no bairro Monte Líbano.

Conforme o boletim de ocorrência, a denúncia via 190 relatava que um homem estaria tentando furtar a fiação elétrica do estádio.

No local, os policiais encontraram o homem escondido entre as arquibancadas. Ele alegou que estava no estádio para dormir, porém, os policiais perceberam que o suspeito carregava uma alavanca de ferro.

Na vistoria, os agentes encontraram as caixas de eletricidade dos postes dos refletores danificadas e os fios de energia e a tela de proteção cortadas.

Comentários Facebook
Continue lendo

Esporte e Saúde

Britânico passa por reconstrução facial após confundir tumor na pele com espinha

Publicado


Britânico Colin Davies passou por reconstrução facial após  câncer de pele
Reprodução/Daily Mail

Britânico Colin Davies passou por reconstrução facial após câncer de pele

Um homem foi submetido a uma reconstrução facial após confundir um tumor cancerígeno com uma simples espinha em sua cabeça. De acordo com o Daily Mail
, Colin Davies, de 66 anos, procurou ajuda médica após perceber que o caroço em sua testa estava crescendo com o passar do tempo, descobrindo, assim, que tinha câncer de pele
já em estágio avançado.

Leia também: Conhece a harmonização facial? Conheça todos os detalhes

Davies relatou que, no início, não se preocupou com a pequena ‘bolinha’ vermelha que se alojou em sua testa, e que só procurou por um especialista ao notar um crescimento fora do comum no caroço, que ficou do tamanho de uma uva. Em pouco tempo, o câncer de Colin tomou conta de seu corpo, espalhando-se pelo pescoço, mandíbula, orelha e ombro direito, fazendo com que realizasse um procedimento de reconstrução facial
que durou 13 horas em uma clínica de Hartlepool, na Inglaterra

Reconstrução facial e o período de recuperação de Colin

O britânico explicou que, devido ao avanço do câncer de pele, teve grande parte de seu rosto removido. Ele também sofreu a perda do couro cabeludo, que foi substituído por uma placa de acrílico e um enxerto de pele retirado da perna, passando ainda por dois meses de radioterapia intensiva para erradicar o câncer.

Leia também: Pela primeira vez, EUA aprovam uso de medicamento à base de maconha

Depois de lutar contra 21 tumores durante 25 anos, o idoso decidiu compartilhar sua experiência a fim de motivar e encorajar pessoas que estão passando pela mesma situação que viveu. Atualmente, livre do câncer, Colin se descreveu otimista e muito animado para o futuro.


Colin, de 66 anos, retirou 21 tumores de seu corpo
Reprodução/Daily Mail

Colin, de 66 anos, retirou 21 tumores de seu corpo

“Se o caroço não tivesse crescido, talvez passasse despercebido. Eu poderia ter morrido aos 41 anos se não fosse um bom observador. Lutei contra o câncer de pele por mais de 25 anos, passei por muitos momentos complicados, e finalmente posso afirmar que estou livre disso. Agora, quero contar a minha história para que as pessoas se cuidem e tenham em mente que não são invencíveis”, disse.

Davies alegou que apesar de ter conseguido reverter o quadro de câncer de pele, continuará com os cuidados e evitará ao máximo a exposição ao sol
, já que isso pode fazer os tumores retornarem.  

Leia também: Britânico sem órgão sexual ganha ‘pênis biônico’ após passar por 15 cirurgias

“Meu médico suspeita que meus anos de juventude, quando pescava abaixo do sol forte, podem ter influenciado na propagação da doença. Demorei dois anos para ser diagnosticado de fato, só sentia meu rosto dolorido e coçando. Depois desse período, perdi grande parte dele, e por isso tive que passar por uma reconstrução facial
e por implantes de próteses do meu canal auditivo. No momento, estou bem, e quero conscientizar as pessoas sobre os riscos e os cuidados que devemos ter com o câncer de pele”, concluiu.

Comentários Facebook
Continue lendo

Esporte Amador

Estadual

Mais Esportes

Mais Lidas da Semana