conecte-se conosco


Esporte e Saúde

Ansiedade: sintomas, tratamentos e causas

Publicado

O que é Ansiedade?

Sinônimos: angústia

A ansiedade é uma emoção normal do ser humano, comum ao se enfrentar algum problema no trabalho, antes de uma prova ou diante de decisões difíceis do dia a dia. No entanto, a ansiedade excessiva pode se tornar uma doença, ou melhor, um distúrbio de ansiedade.

Pessoas que sofrem de distúrbios de ansiedade sentem uma preocupação e medoextremos em situações simples da rotina, além de alguns sintomas físicos, o que atrapalha suas atividades cotidianas, já que eles são difíceis de controlar. Por sorte, os distúrbios de ansiedade podem ser tratados.

Tipos

Existem diversos tipos de distúrbios de ansiedade. Os mais comuns são:

Há outros quadros que têm a ansiedade como pano de fundo, como:

  • Transtorno obsessivo compulsivo (TOC)
  • Transtorno de estresse pós-traumático
  • Transtorno fóbico-ansioso.

Causas

Não se sabe ao certo por que algumas pessoas são mais propensas à ansiedade descontrolada do que outras. Alguns dos fatores que podem estar envolvidos nisso são:

  • Genética, ou seja, histórico familiar de transtornos de ansiedade
  • Ambiente, por exemplo passar por algum evento traumático ou estressante
  • Mentalidade ou modelo de pensamento, ou seja, a forma como a pessoa estrutura seus pensamentos ou linhas de raciocínio e, consequentemente, encara as situações do dia a dia
  • Doenças físicas.

Entre as doenças físicas que podem estar relacionadas à ansiedade, encontramos:

  • Problemas cardiovasculares, como as arritmias cardíacas
  • Doenças hormonais, como hipertireoidismo ou o hiperadrenocorticismo (aumento de atividade da glândula adrenal)
  • Problemas respiratórios, como o DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica)
  • Dores crônicas
  • Abuso de drogas, álcool ou medicações como os benzodiazepínicos.

Por isso é importante buscar um psiquiatra para que ele pesquise se não há causas físicas por trás de seu problema de ansiedade.

Fatores de risco

Algumas pessoas são mais propensas a terem distúrbios de ansiedade. Os principais fatores de risco são:

  • Eventos traumáticos na infância ou mesmo vida adulta
  • Estresse relacionado a doenças físicas sérias
  • Acúmulo de estresse
  • Tipo de personalidade, já que algumas pessoas tem uma personalidade naturalmente ansiosa
  • Abuso de substâncias, como álcool, cigarro e drogas ilícitas.
  • Sintomas de Ansiedade

    A ansiedade e seus transtornos podem causar sintomas tanto mentais quanto físicos, que atrapalham o dia a dia de diversas formas. Veja quais são os principais:

    Sintomas psicológicos da ansiedade

    • Constante tensão ou nervosismo
    • Sensação de que algo ruim vai acontecer
    • Problemas de concentração
    • Medo constante
    • Descontrole sobre os pensamentos, principalmente dificuldade em esquecer o objeto de tensão
    • Preocupação exagerada em comparação com a realidade
    • Problemas para dormir
    • Irritabilidade
    • Agitação dos braços e pernas.

    Sintomas físicos da ansiedade

    • Dor ou aperto no peito e aumento das batidas do coração
    • Respiração ofegante ou falta de ar
    • Aumento do suor
    • Tremores nas mãos ou outras partes do corpo
    • Sensação de fraqueza ou cansaço
    • Boca seca
    • Mãos e pés frios ou suados
    • Náusea
    • Tensão muscular
    • Dor de barriga ou diarreia.

    Ataques de pânico

    Os ataques de pânico são uma reação comum aos transtornos de ansiedade, principalmente na síndrome do pânico. Suas principais características são:

    • Sensação de nervosismo e pânico incontroláveis
    • Sensação de morte
    • Aumento da respiração
    • Aumento da frequência cardíaca
    • Tonturas e vertigens
    • Problemas gastrointestinais.

    Em alguns casos, os sintomas físicos são tão intensos que podem ser confundidos com doenças como infarto e outros eventos cardiovasculares.

    Buscando ajuda médica

    O ideal é procurar ajuda médica partir do momento em que o distúrbio de ansiedade produz algum tipo de desprazer ou sofrimento, interferindo negativamente na qualidade de vida.

     

    Muitas pessoas costumam ter dúvidas em relação à busca do profissional, que pode ser um psicólogo ou um psiquiatra. Vale dizer que se forem fatores do desenvolvimento da personalidade, traumas, crises a conduta mais adequada é procurar uma psicoterapia. Já se os fatores causais tiverem origem biológica, a chamada “ansiedade biológica”, o psiquiatra deve ser procurado.

    Sentir ansiedade é normal, mas quando ela passa a ser persistente e fora de seu controle, é bom marcar uma consulta médica com um psiquiatra. Principalmente se há:

    • Preocupação excessiva, a ponto de interferir no trabalho, relacionamentos e em outras partes de sua vida
    • Sintomas de depressão, de alcoolismo ou dependência química a drogas
    • Pensamentos ou comportamentos suicidas.

    Preocupações derivadas da ansiedade e seus transtornos não desaparecem por conta própria – pelo contrário, elas só tendem a piorar. Por isso, tratamento e suporte médicos são imprescindíveis. Procurar ajuda médica antes da ansiedade se tornar um problema ainda maior também é crucial para evitar complicações.

    Na consulta médica

    Especialistas que podem diagnosticar a ansiedade são:

    • Clínico geral
    • Psiquiatra
    • Psicólogo.

    Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

    • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
    • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
    • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

    O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

    • Quais são seus sintomas e o quão severos eles são?
    • Como estes sintomas impactam no seu dia a dia?
    • Você já teve um ataque de pânico?
    • Você costuma evitar situações que te deixam ansioso?
    • Seus sentimentos de ansiedade são ocasionais ou contínuos?
    • Quando você começou a notar que estava muito ansioso?
    • O que parece aumentar sua ansiedade?
    • Você já passou por alguma experiência traumática?
    • Você tem ou já teve outras condições de saúde física ou mental?
    • Você usa algum medicamento?
    • Você tem histórico familiar de ansiedade?

    Também é importante levar suas dúvidas para a consulta por escrito, começando pela mais importante. Isso garante que você conseguirá respostas para todas as perguntas relevantes antes da consulta acabar. Para ansiedade, algumas perguntas básicas incluem:

    • Qual é a causa mais provável para minha ansiedade?
    • Existem outros fatores que podem estar piorando minha ansiedade?
    • Eu preciso ver outro médico ou um psicólogo?
    • Que tipo de terapia pode me ajudar?
    • Medicamentos podem me ajudar?
    • Posso fazer algum tipo de terapia complementar?
    • Além do tratamento, o que posso fazer para ajudar a reduzir a ansiedade?

    Não hesite em fazer outras perguntas, caso elas ocorram no momento da consulta.

    Diagnóstico de Ansiedade

    O profissional começará investigando se há alguma causa física para sua ansiedade excessiva. Enquanto isso, ele também terá uma conversa para fazer uma análise e entender que condições podem estar levando você a ter essa ansiedade exagerada.

    Existem alguns “marcadores biológicos” que também podem estar ligados à ansiedade, como a dosagem de cortisol (um hormônio importante no estresse), alterações de glicemia ou dos hormônios sexuais, entre outros.

    Caso o médico não identifique causas físicas, ele pode comparar seus sintomas com o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5) para entender qual é seu quadro.

    Tratamento de Ansiedade

    Caso a ansiedade excessiva esteja relacionada a uma doença física, seu tratamento adequado já trará alívio dos sintomas.

     

    No entanto, se o paciente sofre de algum transtornos de ansiedade, o tratamento pode envolver diversas abordagens:

    Um dos métodos mais utilizados é a terapia cognitivo-comportamental (TCC), um tratamento normalmente feito em curto prazo e que permite você retomar aos poucos as suas atividades cotidianas que antes eram evitadas devido à ansiedade.

    Psicoterapia

    A terapia com um psicólogo pode ajudar o paciente a entender os fatores do dia a dia que desencadeiam sua ansiedade, reduzir seus sintomas e trabalhar os eventos que o levaram a desenvolver este problema.

    Medicamentos

    Diversos medicamentos podem ser usados para o tratamento da ansiedade, como:

    • Benzodiazepinas
    • Antidepressivos
    • Ansiolíticos.

    Medicamentos para Ansiedade

    Os medicamentos mais usados para o tratamento de ansiedade são:

    Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

     
     Expectativas

    A maior parte das pessoas com ansiedade começa a se sentir melhor e retoma as suas atividades depois de algumas semanas de tratamento. Por isso, é importante procurar ajuda especializada na unidade de saúde mais próxima. O diagnóstico precoce e preciso da ansiedade, com tratamento eficaz e acompanhamento por um prazo longo são imprescindíveis para obter melhores resultados e menores prejuízos.

    Complicações possíveis

    A ansiedade excessiva não tratada pode levar a outros problemas de saúde, como:

    • Depressão
    • Abuso de substâncias
    • Insônia e outros distúrbios do sono
    • Problemas digestivos
    • Isolamento social
    • Problemas nos estudos, trabalho e vida pessoal
    • Suicídio.

    Convivendo/ Prognóstico

    Além de seguir o tratamento à risca, alguns cuidados caseiros podem ajudar na recuperação de quem sofre de ansiedade excessiva, como:

    • Manterse ativo: atividades físicas são uma forma poderosa de reduzir o estresse, pois liberam neurotransmissores relacionados ao bemestar
    • Evitar álcool e outras drogas: essas substâncias podem piorar a ansiedade
    • Pare de fumar ou de beber cafeína: a nicotina e a cafeína são estimulantes, piorando o quadro de ansiedade
    • Procure técnicas de relaxamento: exercícios de respiração, ioga.
     Prevenção

    A ansiedade pode ser prevenida a partir de medidas de qualidade de vida:

    Exercícios físicos diários; alimentação balanceada, equilibrada e de boa qualidade; cuidar da qualidade do sono;técnicas de relaxamento;religiosidade;arte-terapia;lazer.

    foto especialista
    REVISADO POR

    Dr. Persio Ribeiro Gomes de Deus 
    PSIQUIATRIA – CRM 31656/SP

    ESPECIALISTA MINHA VIDA
Comentários Facebook

Esporte e Saúde

Homem é detido por tentativa de furto de fiação elétrica no Mini Estádio Monte Líbano

Publicado

Mini estádio Monte Líbano- Foto: Ilcimar Aranhas/ Cidade Nos Esportes

Policiais militares de Rondonópolis (a 212 km de Cuiabá) prenderam na madrugada desta terça-feira (31.03), um homem por tentativa de furto, no bairro Monte Líbano.

Conforme o boletim de ocorrência, a denúncia via 190 relatava que um homem estaria tentando furtar a fiação elétrica do estádio.

No local, os policiais encontraram o homem escondido entre as arquibancadas. Ele alegou que estava no estádio para dormir, porém, os policiais perceberam que o suspeito carregava uma alavanca de ferro.

Na vistoria, os agentes encontraram as caixas de eletricidade dos postes dos refletores danificadas e os fios de energia e a tela de proteção cortadas.

Comentários Facebook
Continue lendo

Esporte e Saúde

Britânico passa por reconstrução facial após confundir tumor na pele com espinha

Publicado


Britânico Colin Davies passou por reconstrução facial após  câncer de pele
Reprodução/Daily Mail

Britânico Colin Davies passou por reconstrução facial após câncer de pele

Um homem foi submetido a uma reconstrução facial após confundir um tumor cancerígeno com uma simples espinha em sua cabeça. De acordo com o Daily Mail
, Colin Davies, de 66 anos, procurou ajuda médica após perceber que o caroço em sua testa estava crescendo com o passar do tempo, descobrindo, assim, que tinha câncer de pele
já em estágio avançado.

Leia também: Conhece a harmonização facial? Conheça todos os detalhes

Davies relatou que, no início, não se preocupou com a pequena ‘bolinha’ vermelha que se alojou em sua testa, e que só procurou por um especialista ao notar um crescimento fora do comum no caroço, que ficou do tamanho de uma uva. Em pouco tempo, o câncer de Colin tomou conta de seu corpo, espalhando-se pelo pescoço, mandíbula, orelha e ombro direito, fazendo com que realizasse um procedimento de reconstrução facial
que durou 13 horas em uma clínica de Hartlepool, na Inglaterra

Reconstrução facial e o período de recuperação de Colin

O britânico explicou que, devido ao avanço do câncer de pele, teve grande parte de seu rosto removido. Ele também sofreu a perda do couro cabeludo, que foi substituído por uma placa de acrílico e um enxerto de pele retirado da perna, passando ainda por dois meses de radioterapia intensiva para erradicar o câncer.

Leia também: Pela primeira vez, EUA aprovam uso de medicamento à base de maconha

Depois de lutar contra 21 tumores durante 25 anos, o idoso decidiu compartilhar sua experiência a fim de motivar e encorajar pessoas que estão passando pela mesma situação que viveu. Atualmente, livre do câncer, Colin se descreveu otimista e muito animado para o futuro.


Colin, de 66 anos, retirou 21 tumores de seu corpo
Reprodução/Daily Mail

Colin, de 66 anos, retirou 21 tumores de seu corpo

“Se o caroço não tivesse crescido, talvez passasse despercebido. Eu poderia ter morrido aos 41 anos se não fosse um bom observador. Lutei contra o câncer de pele por mais de 25 anos, passei por muitos momentos complicados, e finalmente posso afirmar que estou livre disso. Agora, quero contar a minha história para que as pessoas se cuidem e tenham em mente que não são invencíveis”, disse.

Davies alegou que apesar de ter conseguido reverter o quadro de câncer de pele, continuará com os cuidados e evitará ao máximo a exposição ao sol
, já que isso pode fazer os tumores retornarem.  

Leia também: Britânico sem órgão sexual ganha ‘pênis biônico’ após passar por 15 cirurgias

“Meu médico suspeita que meus anos de juventude, quando pescava abaixo do sol forte, podem ter influenciado na propagação da doença. Demorei dois anos para ser diagnosticado de fato, só sentia meu rosto dolorido e coçando. Depois desse período, perdi grande parte dele, e por isso tive que passar por uma reconstrução facial
e por implantes de próteses do meu canal auditivo. No momento, estou bem, e quero conscientizar as pessoas sobre os riscos e os cuidados que devemos ter com o câncer de pele”, concluiu.

Comentários Facebook
Continue lendo

Esporte Amador

Estadual

Mais Esportes

Mais Lidas da Semana