conecte-se conosco


+ Esportes

UFC comete injustiça histórica ao deixar Cyborg fora de disputa de cinturão

Publicado

Uma semana depois de Dana White revelar que Cris Cyborg recusou três ofertas para disputar o inédito cinturão peso pena feminino do UFC, o evento anunciou na noite na última terça-feira que quem fará essa luta serão a norte-americana Holly Holm e a holandesa Germaine de Randamie.

A explicação dada por Dana White para deixar a brasileira para trás nessa luta é que lhe foi dada a chance e o evento precisa seguir em frente. “Estamos no negócio da luta. Ela disse que não poderia bater o peso em oito semanas, depois negou de novo e novo. Tinha duas garotas que poderiam fazer essa luta, então seguimos em frente. Imagina um jogador do Patriots (time da NFL), falando que não pode jogar neste fim de semana?”

Cris explicou na época que ainda estava muito abalada, física e psicologicamente, pelo corte de peso de suas três últimas lutas. Disse que quase morreu para chegar às 140 libras nos dois combates que fez no UFC este ano. “Ontem eles falaram que não tinham meninas para montar essa categoria e agora se apressam para fazer uma disputa de cinturão. Disse que poderia lutar em março, mas acho que ficaram bravos por eu ter recusado as lutas”, desabafou.

Não esperar Cris Cyborg ter condições de aceitar a luta é uma enorme injustiça que o UFC está cometendo contra a brasileira e soa, sim, como birra ou represália por ela não ter aceitado as ofertas iniciais.

A curitibana é detentora do cinturão da categoria peso pena feminina em todos os eventos que disputou em sua vida (como Strikeforce e Invicta FC, por exemplo). Ela é uma desbravadora do MMA feminino e já fazia – em o destaque devido – o que Ronda Rousey fez anos depois.

Cyborg estava há meses, na verdade anos, pedindo para o UFC criasse sua categoria e que ela pudesse parar de sofrer com o corte de peso. Ela sempre disse que seria justo com muitas atletas que sofrem para bater o peso galo e que poderiam povoar o peso de cima. E agora ela acabou preterida.

Apenas em termos de comparação, está invicta há mais de dez anos, venceu 15 de suas 19 lutas por nocaute, sendo dez vezes no primeiro round. Já Holly Holm vem de duas derrotas consecutivas (para Miesha Tate e Valentina Shevchenko) e Germaine de Randamie tem apenas nove lutas profissionais de MMA, aos 32 anos.

Ninguém iria morrer de esperar um mês ou dois para colocar Cris Cyborg nessa merecida disputa de cinturão. Mas os fãs de MMA não precisam se preocupar. Ela avisou que não vai abandonar o UFC por conta disso e para esse título estar em suas mãos é questão de tempo.

Fonte: Uol

Comentários Facebook

+ Esportes

Willian revela que teria deixado o Chelsea caso Conte continuasse como técnico

Publicado

O brasileiro Willian é peça importante no sistema ofensivo do Chelsea e fez uma boa última temporada. Mas o meia-atacante revelou que se Antonio Conte tivesse continuado à frente da comissão técnica do clube, ele teria seguido outros rumos.


Willian em ação pelo Chelsea na primeira rodada da Premier League contra o Huddersfield
Divulgação

Willian em ação pelo Chelsea na primeira rodada da Premier League contra o Huddersfield

“Sem chance. Não. Só estou agora aqui porque eu quero jogar pelo Chelsea. Eu só sairei se o Chelsea quiser que eu vá embora”, revelou Willian , logo após a  vitória dos Blues sobre o Huddersfield pela primeira rodada do Inglês, no sábado, ao ser perguntado se seguiria no clube caso Conte permaneceesse.

O treinador italiano ficou no Chelsea entre 2016 e 2018 e, apesar de consquistar um Campeonato Inglês e uma Copa da Inglaterra, sua passagem ficou marcada por entreveros com jogadores brasileiros.

Diego Costa, por exemplo, deixou o clube ao fim da temporada 2016/17 por ter problemas com o técnico e David Luiz acabou indo para o banco durante a temporada passada.

Leia também: Presidente do Barcelona sobre Pogba: “Faltam 20 dias para o mercado fechar”

Willian fala sobre a nova fase do Chelsea


Willian e Hazard comemoram gol do Chelsea durante a última temporada
Reprodução/Instagram – @willianborges88

Willian e Hazard comemoram gol do Chelsea durante a última temporada

Antonio Conte deixou o escrete londrino ao fim da última temporada e quem chegou foi o compatriota Maurizio Sarri. A estreia oficial do ex-Napoli foi justamente contra o Huddersfield, fora de casa, com boas atuações dos dois brasileiros que lá permaneceram.

“Nós temos muitos jogadores de qualidade na frente. Jogadores como Eden Hazard e Pedro. Atletas como esses gostam de jogar futebol. Por isso Sarri falou sobre futebol prazeroso, porque ele quer que tudo seja construído desde trás. É isso que tentaremos fazer nessa temporada”, acrescentou.

Leia também: Manchester City estreia com vitória sobre Arsenal; Liverpool goleia West Ham

O brasileiro de 30 anos também falou sobre o próximo rival do Chelsea no inglês, que será o Arsenal. Para ele, chegou a hora de encerrar uma série de seis jogos sem vencer o rival: “Acho que temos uma boa chance de virar os resultados contra eles porque agora temos um jeito diferente de jogar futebol”, encerrou Willian .

Comentários Facebook
Continue lendo

+ Esportes

Felipe Melo é chamado de macaco e faz gesto obsceno para torcedor no Paraguai

Publicado


O gesto obsceno de Felipe Melo antes da partida
Reprodução / Fox Sports

O gesto obsceno de Felipe Melo antes da partida

Felipe Melo mais uma vez foi protagonista de uma polêmica nesta quinta-feira (09), antes da partida de ida das oitavas de final da Libertadores entre Palmeiras e Cerro Porteño no Paraguai.

Leia também: Atleta negra vítima de racismo chega à final de campeonato na Alemanha

Ao entrar no gramado, Felipe Melo foi flagrado pelas câmeras da Fox Sports fazendo um gesto obsceno para os torcedores do time paraguaio.

Em entrevista ao canal Fox Sports da Argentina após o jogo, o volante justificou seu ato alegando ter sofrido injúrias raciais por parte de um torcedor: “Reagi contra um torcedor que me chamou de macaco”.

Leia também: Rossi, do Inter, compara rebaixamento com tragédia da Chape e depois se desculpa

Ainda assim, a atitude do jogador, sempre envolvido em polêmicas, causou revolta até em alguns torcedores do Palmeiras, que o criticaram nas redes sociais.

Felipe Melo sofreu com racismo em 2017

O fato é lamentável, mas não inédito contra Felipe Melo. O volante do Palmeiras também foi vítima de racismo durante a Taça Libertadores de 2017.

Na primeira partida contra o Peñarol, na fase de grupos do torneio, o palmeirense acusou o uruguaio Gastón Rodríguez de chamá-lo de macaco durante a o jogo no Allianz Parque.


Felipe Melo foi alvo de racismo na Libertadores de 2017
Reprodução / Palmeiras

Felipe Melo foi alvo de racismo na Libertadores de 2017

“O cara que entrou e fez o gol deles estava me chamando de macaco durante muito tempo. Macaco pra lá, macaco pra cá. Sou preto mesmo. Ele deve ter algum problema. A mulher dele já deve ter traído ele com algum negão. Não sei o nome dele. Mas é um moreno escuro. Na época da escravidão, teria tomado chibatada igual a mim”, disse o volante em entrevista ao Sportv.

Leia também: Na Coreia, atacante brasileiro revela preconceito após 7 a 1

Após a acusação, Felipe Melo afirmou ter conversado com o Gastón Rodríguez. Ele disse que o uruguaio pediu desculpas e que os dois se resolveram.

Comentários Facebook
Continue lendo

Esporte Amador

Estadual

Mais Esportes

Mais Lidas da Semana