conecte-se conosco


Esportes

River Plate se recusa a jogar final da Libertadores no Santiago Bernabéu

Publicado


Boca Juniors e River Plate empataram a primeira partida da final em 2 a 2
Divulgação

Boca Juniors e River Plate empataram a primeira partida da final em 2 a 2

O River Plate se pronunciou oficialmente, na manhã deste sábado (01), a respeito da decisão da Conmebol de transferir a final da Libertadores para o estádio Santiago Bernabéu, em Madri, na Espanha.

Leia também: Grêmio ou Palmeiras no Mundial? Veja o que diz o regulamento da Libertadores

Na nota, o River deixou clara sua insatisfação com a mudança de local, e afirmou que se recusa a jogar a partida por se sentir prejudicado ao perder a condição de mandante, que teria no Monumental de Nuñez.

O comunicado cita ainda o G-20, e alega ser incompreensível a Argentina ter condições de receber o encontro dos principais líderes do mundo, e não conseguir realizar o clássico mais importante do país.

Confira a nota do River


A equipe argentina se recusa a jogar no estádio do Real Madrid
Divulgação

A equipe argentina se recusa a jogar no estádio do Real Madrid

Leia também: Daniel Alves critica final da Libertadores em Madri: “Maior vergonha que já vi”

– A partir da apresentação feita ontem, sexta-feira 30 de novembro, antes da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol), o River Plate confirma sua recusa em mudar de local. O clube entende que esta decisão desnaturaliza a competição, prejudica os torcedores que adquiriram ingresso e afeta a igualdade de condições a partir da perda da condição de mandante.

– A responsabilidade pela falha na operação de segurança no sábado dia 24, ocorrida fora do perímetro do evento, foi assumida abertamente pelas mais altas autoridades do Estado. Isto equivale a dizer que o River Plate lamenta, se solidariza, mas não há responsabilidade do clube.

– Mais de 66 mil torcedores no estádio aguardaram pacientemente durante cerca de oito horas no sábado e voltaram a fazer pela segunda vez no domingo. A estes torcedores se nega agora, sem justificativa, a possibilidade de assistir ao espetáculo, em virtude da evidente diferença de custos e a distância da sede eleita (Santiago Bernabéu).

– É incompreensível que o clássico mais importante do futebol argentino não possa ser disputado com normalidade no mesmo após que nestes dias recebe o G-20. O futebol argentino em seu conjunto, e a Associação do Futebol Argentino (AFA) não podem e não devem permitir que alguns violentos atrapalhem a disputa do Superclássico em nosso país.

Boca também não quer jogar final


O ônibus do Boca Juniors foi apedrejado por torcedores do River Plate na chegada ao Monumental de Nuñez
Reprodução

O ônibus do Boca Juniors foi apedrejado por torcedores do River Plate na chegada ao Monumental de Nuñez

O Boca Juniors também se sente prejudicado com a decisão da Conmebol após o ataque ao ônibus do clube. Os Xeneizes querem que os rivais sejam responsabilizados pelo caso e eliminados da competição. A entidade apenas multou o River e puniu o clube com dois jogos sem torcida na próxima edição da competição sul-americana.

Na tentativa de ser declarado campeão nos tribunais, o Boca Juniors recorreu ao Tribunal Disciplinar, mas teve pedido negado. Agora o clube promete apelar ao CAS (Corte Arbitral do Esporte).

Leia também: Final da Libertadores faz Fifa vetar Copa do Mundo na Argentina, diz jornal

Caso  River e Boca decidam disputar final da Libertadores de 2018 conforme decidiu a Conmebol, a partida será realizada no Santiago Bernabéu, estádio do Real Madrid, no próximo dia 9 de dezembro.

Comentários Facebook

Esportes

Dudu reencontra Novorizontino, sua maior vítima desde que chegou ao Palmeiras

Publicado


Dudu comemora gol pelo Palmeiras
Divulgação / Palmeiras

Dudu comemora gol pelo Palmeiras

Pelo terceiro ano consecutivo, o Palmeiras enfrentará o Novorizontino nas quartas de final do Campeonato Paulista. E se tem um jogador que lembra muito bem de todos esses duelos anteriores é Dudu.

Leia também: Com números de 2018, Palmeiras registra a maior arrecadação de sua história

Ídolo e principal jogador do clube alviverde nas últimas temporadas, o camisa 7 foi decisivo tanto em 2017 quanto em 2018 ao balançar as redes nas quatro partidas, fato que faz com que o Tigre do Vale seja, ao lado de Santos e Vitória, a maior vítima de Dudu pelo Verdão.

Como o Palmeiras terminou na liderança do Grupo B, com a segunda melhor campanha geral do Campeonato Paulista , o confronto de ida, a exemplo das duas últimas temporadas, será no estádio Jorge Ismael de Biasi, em Novo Horizonte.

Em 2017, Dudu iniciou a reação do Verdão no triunfo por 3 a 1, aproveitando uma sobra na área. Já em 2018, de pênalti, o meia-atacante abriu o placar na vitória alviverde por 3 a 0.

O jogo de volta, por sua vez, assim como em 2017, acontecerá no Pacaembu. Há dois anos, Dudu marcou o último gol da vitória por 3 a 0, em belo chute de fora da área. Já em 2018, no Allianz Parque, o camisa 7 fez o quarto tento da goleada por 5 a 0.

Leia também: Palmeiras pode ser rebaixado para Série B por causa do ex-cartola Del Nero


Dudu comemora gol contra o Novorizontino no Paulistão de 2018
Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

Dudu comemora gol contra o Novorizontino no Paulistão de 2018

Único jogador do Palmeiras presente na seleção da fase de grupos do Campeonato Paulista deste ano feita pelo site de estatísticas Footstats, Dudu espera ajudar novamente o Verdão a avançar e seguir em busca do seu 23º título estadual.

“Tive a felicidade de marcar gol nos quatro jogos contra eles e isso é ótimo, mas são dados que não entram em campo. Este ano é outro campeonato, outro momento, e a gente sabe que serão duas partidas bem complicadas. O Novorizontino demonstrou muita qualidade no Paulista e não podemos bobear. Eles ganharam do Santos, mesmo fora de casa, e do Corinthians. Temos que entrar focados desde o começo da partida e trazer um bom resultado para São Paulo”, afirmou.

Em sua quinta temporada pelo Palmeiras, Dudu já disputou 240 jogos pelo clube, marcou 56 gols, deu 58 assistências e conquistou três títulos (Copa do Brasil de 2015 e Brasileirão de 2016 e 2018), sempre sendo protagonista.

Leia também: Completando 27 anos, Dudu comemora 1 milhão no Instagram: “melhor fase da vida”

Além disso,  Dudu coleciona uma série de marcas importantes pelo clube, dentre elas, a de jogador com mais partidas (104), gols (27) e assistências (26) no Allianz Parque, artilheiro do Palmeiras no Século XXI e maior goleador do clube no Brasileiro por pontos corridos, com 32 bolas na rede.

Comentários Facebook
Continue lendo

Esportes

Vítima de racismo, Serginho revela: “Minha família quer ir embora da Bolívia”

Publicado


Serginho deixa o gramado após ser vítima de racismo
Reprodução

Serginho deixa o gramado após ser vítima de racismo

O brasileiro Serginho se manifestou pela primeira vez, nesta quinta-feira (21), sobre o ato de racismo que sofreu durante partida do Jorge Wilstermann, seu clube, contra o Blooming, na Bolívia.

Leia também: Presidente do Blooming pede suspensão de brasileiro vítima de racismo na Bolívia

O atacante revelou que o trauma se estendeu até seus filhos, que assistiram o pai sendo vítima de racismo e choraram. Segundo Serginho , a vontade de sua família, no momento, é de deixar o país.

“Minha família em casa, meus filhos, só conseguiam chorar o tempo todo. Tenho um filho de 11 anos e uma filha de 10 que só choravam porque estavam assistindo a partida e sabiam o que estava acontecendo. Quando afeta ao homem nós suportamos, mas quando afeta a nossa família é algo a se repensar (sobre permanência). Eu falei com o corpo diretivo e a verdade é que a minha família quer ir embora da Bolívia , não quer mais ficar”, disse o brasileiro.

Leia também: Brasileiro é alvo de racismo na Rússia: “é ridículo pessoas de cor na seleção”

O camisa 10 do Jorge Wilstermann revelou também que nunca havia passado por algo do tipo, e que tentou ao máximo suportar as ofensas.

“Me chamaram de macaco, que tinha de voltar para a selva. Eu tenho família, filhos. A verdade é que nós suportamos muitas coisas. Eu suportei até onde consegui suportar, pois isso não é algo do futebol. Todos somos iguais, não sou diferente por minha cor de pele ou ser brasileiro. Temos apenas uma raça que é a raça humana. Eu nunca na minha vida tinha passado por isso.

Por fim, Serginho declarou que, por gratidão ao apoio recebido tanto pela diretoria, quanto pela torcida e colegas de time, permanecerá no Jorge Willsterman.

Leia também: Ex-goleiro Jefferson revela ter sido barrado da seleção brasileira por ser negro

“Eu não tenho nada a esconder, eu vou ficar porque amo esse clube. Não tenho que fazer média com ninguém. Desde quando cheguei aqui, o clube, a torcida, meus companheiros sempre me apoiaram, nunca me abandonaram em nenhum momento. Desde quando aconteceu o episódio em 2016 com o Blooming e depois contra o Destroyers eles nunca me abandonaram. Então não será por isso que irei embora”, finalizou o atleta brasileiro vítima de racismo .

Comentários Facebook
Continue lendo

Esporte Amador

Estadual

Mais Esportes

Mais Lidas da Semana