conecte-se conosco


Esportes

Messi? CR7? Kaká faz aposta sobre quem vencerá a Bola de Ouro

Publicado

Kaká
Reprodução/Instagram/@kaka

Em entrevista, Kaká disse quem ele acha que deve ganhar a Bola de Ouro.

Doze anos depois de ganhar o prêmio de melhor jogador do mundo, Kaká voltou a falar sobre a premiação. Dessa vez, o brasileiro deu uma declaração dizendo quem ele acha que vai vencer a Bola de Ouro. E, para a surpresa de muitos, ele não citou a dupla Messi-CR7.

Leia também: Superando Messi, craque do Liverpool é eleito “melhor da Europa”

Para Kaká , o vencedor será o zagueiro Virgil Van Dijk , da Holanda e do Liverpool . Para justificar sua escolha, o meia brasileiro diz que o defensor atuou a temporada inteira em alto nível  e que os títulos conquistados devem pesar a favor do holandês.

“Van Dijk teve uma temporada maravilhosa no Campeonato Inglês e ganhou a Liga dos Campeões jogando de uma maneira inacreditável. Ele é o nome que eu escolheria”, afirmou Kaká em entrevista à TV SkyItalia.

Kaká disse ainda que está na hora de voltar a premiar um defensor. “Vamos ver o que os jurados decidirão. Mas acho que é hora de premiar um defensor”. O último que foi premiado foi o italiano Fabio Cannavaro em 2006.

Ver essa foto no Instagram

Happy Birthday babe!! 02.12.2007 #11years

Uma publicação compartilhada por Kaká (@kaka) em 2 de Dez, 2018 às 1:19 PST

Em 2007, Kaká superou Messi e CR7 e levou o prêmio de melhor do mundo. Na época, o meia defendia o Milan. Desde então, a dupla de estrelas dominou a premiação até que, no ano passado, o croata Luka Modric quebrar a hegemonia. 

Comentários Facebook

Esportes

Marta se torna maior artilheira da história das Copas com 17 gols

Publicado

Marta cobrando pênalti
Mowa Press

Marta se tornou a maior artilheira da história das Copas.

Com o gol marcado diante da Itália nesta terça-feira (18), Marta se tornou a maior artilheira da história das Copas . A brasileira quebrou a marca que antes pertencia ao alemão Miroslav Klose, que marcou 16 gols em quatro Copas do Mundo masculina.

Leia também: Copa do Mundo Feminina: Brasil vence a Itália por 1 a 0  e se classifica

Com o gol anotado diante da Itália, Mart a chegou a dois gols no torneio. Com isso, ela quebrou o recorde que pertencia à Klose , que marcou 16 gols entre as Copas de 2002 e 2014. Já que a seleção garantiu a classificação para as oitavas, Marta pode ampliar ainda mais essa marca ao longo do mundial. 

Entre as mulheres, Marta já era artilheira já que havia superado os 14 gols marcados pela alemã e ex-melhor do mundo Birgit Prinz. 

Essa é a quinta Copa do Mundo disputada por Marta . Em sua estreia, no mundial de 2003, ela marcou 3 gols. Na edição seguinte, em 2007, a craque foi um dos destaques e marcou incríveis 7 gols no torneio. Em 2011 foram quatro tentos marcados e em 2015, na última edição do torneio, apenas 1. 

Comentários Facebook
Continue lendo

Esportes

Sem apoio? Jogo da seleção feminina reúne ‘pequena multidão’ no meio da tarde

Publicado

sesc pompéia
Flavia Matos/ IG

Torcida assiste a Brasil x Itália no Sesc Pompéia

A vitória do Brasil sob a Itália, por 1 a 0 , na Copa do Mundo de futebol feminino, foi assistida por uma pequena multidão no Sesc Pompeia.

Por meio do projeto ‘Corpo Feminino – das proporções ao protagonismo’, a diretoria do Sesc instalou um telão no espaço de convivência e exibe todos os jogos da Copa do Mundo de futebol feminino, tanto do Brasil como de outras seleções.

E nesta terça-feira (18) o local recebeu bastante gente para o último jogo da seleção brasileira na fase de grupos. Timidamente as pessoas começaram a chegar faltando uma hora para o início da partida e assim que a bola rolou as cerca de cinquenta cadeiras dispostas em frente ao telão estavam todas ocupadas.

O público foi muito misto. Entre pessoas de mais idade, jovens e adultos predominou a presença de mulheres. Raquel Moreira, uma animada torcedora que chegou bem cedo, contou que saiu do Edifício Martinelli, na zona central da capital, até a Pompeia para ver as meninas do Brasil.

“Na Copa masculina eles colocaram telões para assistir lá no centro, mas agora não tem nada. Eu não consegui encontrar ninguém para assistir comigo, então vim pra cá”, disse Raquel, que foi liberada do trabalho para ver o jogo.

Quem também estava lá era Julio Franco, de 62 anos. Funcionário de uma gráfica, foi a segunda vez que ele apareceu no Sesc Pompeia para ver o Brasil. “Vim no jogo que nós perdemos [contra a Austrália]. Tinha muita gente. Acho legal essa iniciativa do Sesc e de ver tantas pessoas torcendo pelo Brasil. A torcida é mais animada que para a seleção masculina”, contou.

Leia também:  Gafe – Craque Neto diz que vai narrar gol de jogadora que está fora do Mundial

A dupla de amigas Fernanda e Lúcia Eliza foram assistir pela primeira vez, assim como Raquel, e chegaram cedo para pegar um bom lugar. “Acho muito legal essa iniciativa. A Copa do Mundo feminina está muito emocionante”, opinou Fernanda.

Com a bola rolando o espaço foi ficando cada vez mais cheio de gente. E a cada erro de bola do Brasil era possível ouvir gritos e reclamações. No segundo tempo a tensão aumentou ainda mais e com mais público o Sesc virou uma verdadeira arquibancada.

No lance de pênalti para a seleção brasileira o público enlouqueceu, comemorou o feito de Marta, aplaudiu a camisa 10 quando ela foi substituída e sofreu até o último segundo com a defesa de Bárbara em cobrança de falta da Itália.


“Se fosse o Neymar …”

neymar caído
Pedro Martins / MoWA Press

Neymar foi alvo de ‘cornetadas’ durante jogo da seleção feminina do Brasil

A partida era da seleção feminina, mas a seleção masculina não saiu da boca do povo. A cada lance de falta mais forte, como a de Bartoli contra Debinha, e quando as jogadoras do Brasil caiam em campo, os presentes no Sesc sempre falavam “Se fosse o Neymar ia estar rolando até agora” ou algum outro tipo de piadinha com o camisa 10 da seleção masculina.

No intervalo, quando a transmissão passou as informações do jogo entre Brasil x Venezuela, que acontece na noite desta terça-feira pela Copa América, teve quem disse “Eu não quero saber disso, essa seleção não interessa”.

E se teve cobrança com os jogadores da seleção masculina, teve muito chiado com Ludmilla, a camisa 19. A atleta não tem feito uma boa Copa do Mundo e sempre que perdia a bola a torcida no Sesc reclamava.

Leia também:  Marta se torna a maior artilheira da história das Copas do Mundo com 17 gols

Fora as ‘cornetadas’, a seleção feminina do Brasil teve um apoio gigante de homens, mulheres, crianças, jovens e idosos no Sesc Pompeia. Nas oitavas de final do Mundial, a seleção ainda não tem adversário definido. Pode pegar França ou Alemanha.

Comentários Facebook
Continue lendo

Ouça Agora

Esporte Amador

Estadual

Mais Esportes

Mais Lidas da Semana