conecte-se conosco


+ Esportes

Grêmio vence o Barcelona por 3 a 0 e se aproxima da final da Libertadores

Publicado

O Grêmio contou com atuações inspiradas de Edílson e Luan para dar um grande passo rumo à final da Copa Libertadores. A equipe derrotou o Barcelona de Guaiaquil por 3 a 0, nesta quarta (25), no Equador, e construiu uma vantagem confortável para o jogo da volta das semifinais, marcado para o dia 1, em Porto Alegre.

Com o resultado, o time comandado pelo ídolo Renato Gaúcho se classificará para a decisão se perder por até dois gols de diferença em sua arena. O time não disputa a final do torneio desde 2007, quando foi derrotado pelo Boca Juniors.

A última vez que o Brasil teve um time na final da Libertadores foi em 2013. Na ocasião, o Atlético-MG derrotou o Olímpia, do Paraguai, nos pênaltis, e conquistou o título da competição.

Diante de um estádio Monumental lotado, o Barcelona tentou tomar a iniciativa no início da partida, mas logo perdeu o controle para o Grêmio. Em nenhum momento os equatorianos lembraram o time que eliminou Palmeiras e Santos nas fases anteriores do torneio.

Aos sete minutos, Cortez avançou pela esquerda e limpou o marcador antes de cruzar rasteiro. A defesa não conseguiu afastar e deu espaço para Luan marcar o primeiro gol do jogo. A finalização, de primeira, desviou em um marcador do Barcelona e saiu do alcance do goleiro Banguera.

Com a vantagem no placar, o Grêmio se manteve consistente e freou as tímidas investidas do Barcelona. Uma cobrança de falta, aos 20 minutos, deixou o time ainda mais confortável. Edílson chutou forte e acertou o canto direito do goleiro, que nem sequer pulou na bola para tentar evitar o gol.

Aos poucos o Barcelona ganhou espaço em campo, mas não conseguiu criar chances que pudessem incomodar a defesa gremista. Aos 34 minutos, o atacante Ariel foi derrubado por Kannemann e pediu o pênalti. O árbitro ignorou as reclamações e não marcou nada.

O Barcelona retornou para o segundo tempo com duas alterações ofensivas. Os atacantes Marcos Caicedo e Ayoví entraram nos lugares de Washington Vera e Esterilla, respectivamente.

A mudança surtiu efeito. Caicedo imprimiu velocidade ao ataque equatoriano e, logo no primeiro minuto, acertou passe para Damián Díaz dentro da área. O jogador tentou a conclusão de calcanhar e parou em defesa de Marcelo Grohe.

O goleiro gremista operou um milagre poucos minutos depois. Ariel recebeu passe de Damián Díaz e finalizou com força de dentro da pequena área. Mesmo à queima-roupa, 

Grohe saltou e conseguiu espalmar.

O Grêmio se recuperou do susto e consolidou a vitória aos seis minutos da etapa final. Edílson se livrou da marcação pela direita e cruzou para Luan marcar o terceiro gol da equipe na partida.

Edílson sentiu uma lesão na coxa logo após o gol e precisou ser substituído por Léo Moura. O Barcelona, em busca de inspiração, trocou Ariel por Erick Castillo.

Com domínio completo dos gremistas, a torcida do Barcelona começou a deixar o Monumental aos 29 minutos.

Luan, livre de marcação, quase deu início a uma goleada aos 33 minutos. O atacante recebeu a bola de Léo Moura e tentou buscar o ângulo de Banguera, mas o chute saiu por cima do gol.

Na sequência, Lucas Barrios caiu no gramado e precisou ser substituído. O técnico Renato Gaúcho aproveitou a tranquilidade do jogo e promoveu a estreia de Cícero, contratado pelo Grêmio no final de setembro.

Nos minutos finais, o próprio Cícero recebeu na entrada da área e chutou de forma displicente, por cima do gol.

BARCELONA-EQU

Maximo Banguera; Pedro Velasco, Xavier Arreaga, Luiz Caicedo, Beder Caicedo; Osvaldo Minda, Matías Oyola, Damían Díaz, Ely Esterrilla (Marcos Caicedo) e Washington Vera (José Ayoví); Ariel Nahuelpan (Erick Castillo). T.: Guillermo Almada

GRÊMIO

Marcelo Grohe; Edilson (Léo Moura), Pedro Geromel, Kannemann e Bruno Cortez; Jailson (Michel), Arthur, Ramiro, Luan, Fernandinho e Lucas Barrios (Cícero). T.: Renato Gaúcho

Estádio: Monumental Isidro Romero Carbo, em Guayaquil (EQU)

Juiz: Nestor Pitana (ARG)

Cartões amarelos: Beder Caicedo (BAR); Lucas Barrios (GRE)

Gols: Luan (GRE), aos 7 minutos, e Edilson (GRE), aos 20 minutos do primeiro tempo; Luan (GRE), aos 6 minutos do segundo tempo.

Yahoo

Comentários Facebook

+ Esportes

Willian revela que teria deixado o Chelsea caso Conte continuasse como técnico

Publicado

O brasileiro Willian é peça importante no sistema ofensivo do Chelsea e fez uma boa última temporada. Mas o meia-atacante revelou que se Antonio Conte tivesse continuado à frente da comissão técnica do clube, ele teria seguido outros rumos.


Willian em ação pelo Chelsea na primeira rodada da Premier League contra o Huddersfield
Divulgação

Willian em ação pelo Chelsea na primeira rodada da Premier League contra o Huddersfield

“Sem chance. Não. Só estou agora aqui porque eu quero jogar pelo Chelsea. Eu só sairei se o Chelsea quiser que eu vá embora”, revelou Willian , logo após a  vitória dos Blues sobre o Huddersfield pela primeira rodada do Inglês, no sábado, ao ser perguntado se seguiria no clube caso Conte permaneceesse.

O treinador italiano ficou no Chelsea entre 2016 e 2018 e, apesar de consquistar um Campeonato Inglês e uma Copa da Inglaterra, sua passagem ficou marcada por entreveros com jogadores brasileiros.

Diego Costa, por exemplo, deixou o clube ao fim da temporada 2016/17 por ter problemas com o técnico e David Luiz acabou indo para o banco durante a temporada passada.

Leia também: Presidente do Barcelona sobre Pogba: “Faltam 20 dias para o mercado fechar”

Willian fala sobre a nova fase do Chelsea


Willian e Hazard comemoram gol do Chelsea durante a última temporada
Reprodução/Instagram – @willianborges88

Willian e Hazard comemoram gol do Chelsea durante a última temporada

Antonio Conte deixou o escrete londrino ao fim da última temporada e quem chegou foi o compatriota Maurizio Sarri. A estreia oficial do ex-Napoli foi justamente contra o Huddersfield, fora de casa, com boas atuações dos dois brasileiros que lá permaneceram.

“Nós temos muitos jogadores de qualidade na frente. Jogadores como Eden Hazard e Pedro. Atletas como esses gostam de jogar futebol. Por isso Sarri falou sobre futebol prazeroso, porque ele quer que tudo seja construído desde trás. É isso que tentaremos fazer nessa temporada”, acrescentou.

Leia também: Manchester City estreia com vitória sobre Arsenal; Liverpool goleia West Ham

O brasileiro de 30 anos também falou sobre o próximo rival do Chelsea no inglês, que será o Arsenal. Para ele, chegou a hora de encerrar uma série de seis jogos sem vencer o rival: “Acho que temos uma boa chance de virar os resultados contra eles porque agora temos um jeito diferente de jogar futebol”, encerrou Willian .

Comentários Facebook
Continue lendo

+ Esportes

Felipe Melo é chamado de macaco e faz gesto obsceno para torcedor no Paraguai

Publicado


O gesto obsceno de Felipe Melo antes da partida
Reprodução / Fox Sports

O gesto obsceno de Felipe Melo antes da partida

Felipe Melo mais uma vez foi protagonista de uma polêmica nesta quinta-feira (09), antes da partida de ida das oitavas de final da Libertadores entre Palmeiras e Cerro Porteño no Paraguai.

Leia também: Atleta negra vítima de racismo chega à final de campeonato na Alemanha

Ao entrar no gramado, Felipe Melo foi flagrado pelas câmeras da Fox Sports fazendo um gesto obsceno para os torcedores do time paraguaio.

Em entrevista ao canal Fox Sports da Argentina após o jogo, o volante justificou seu ato alegando ter sofrido injúrias raciais por parte de um torcedor: “Reagi contra um torcedor que me chamou de macaco”.

Leia também: Rossi, do Inter, compara rebaixamento com tragédia da Chape e depois se desculpa

Ainda assim, a atitude do jogador, sempre envolvido em polêmicas, causou revolta até em alguns torcedores do Palmeiras, que o criticaram nas redes sociais.

Felipe Melo sofreu com racismo em 2017

O fato é lamentável, mas não inédito contra Felipe Melo. O volante do Palmeiras também foi vítima de racismo durante a Taça Libertadores de 2017.

Na primeira partida contra o Peñarol, na fase de grupos do torneio, o palmeirense acusou o uruguaio Gastón Rodríguez de chamá-lo de macaco durante a o jogo no Allianz Parque.


Felipe Melo foi alvo de racismo na Libertadores de 2017
Reprodução / Palmeiras

Felipe Melo foi alvo de racismo na Libertadores de 2017

“O cara que entrou e fez o gol deles estava me chamando de macaco durante muito tempo. Macaco pra lá, macaco pra cá. Sou preto mesmo. Ele deve ter algum problema. A mulher dele já deve ter traído ele com algum negão. Não sei o nome dele. Mas é um moreno escuro. Na época da escravidão, teria tomado chibatada igual a mim”, disse o volante em entrevista ao Sportv.

Leia também: Na Coreia, atacante brasileiro revela preconceito após 7 a 1

Após a acusação, Felipe Melo afirmou ter conversado com o Gastón Rodríguez. Ele disse que o uruguaio pediu desculpas e que os dois se resolveram.

Comentários Facebook
Continue lendo

Esporte Amador

Estadual

Mais Esportes

Mais Lidas da Semana