Frágil fora, Inter se apega ao Beira-Rio como esperança para fugir da degola

152
 

O Inter já sabe e reconhece qual o seu diferencial para se manter na elite do Brasileirão. Ele sequer calça chuteiras. Para tentar fugir do rebaixamento, a aposta está no Beira-Rio e na força da torcida para empurrar a equipe de Celso Roth em busca das vitórias que faltam. 

Na noite de quarta-feira, o time até lutou e conseguiu fazer frente ao Botafogo no Estádio Luso-Brasileiro, no Rio. Entretanto, sucumbiu após Eduardo cometer pênalti em Sassá e o próprio atacante alvinegro converter a cobrança, decretando mais uma derrota colorada.   

LEIA MAIS:
> Inter perde metade dos jogos no Brasileirão
> Derrota do Inter tem polêmica e secação rival
> Roth lamenta derrota e reclama de pênalti

O revés por 1 a 0 fez o Colorado permanecer no Z-4 pela sexta rodada consecutiva. Os resultados paralelos até colaboraram. Faltou o próprio Inter fazer sua parte e conquistar pelo menos um empate fora de casa.

Pela manhã, a Chapecoense fez 3 a 0 no Sport, o que deixou os pernambucanos com 34 pontos na 16ª colocação. Já à noite, Coritiba e Figueirense empataram em 0 a 0. Se os paranaenses estão em 12º com 37, os catarinenses seguiram em 18º com 32. Como os nordestinos têm saldo menos 9, bastava ao Inter empatar com os cariocas que já sairia da zona de rebaixamento (porque começou a rodada com o saldo menos 5).

Todo esse contexto machucou os gaúchos. Fernando Carvalho não escondeu a frustração. Porém, garantiu que o grupo lutará com todas as forças para evitar o descenso. E conclamou mais uma vez a torcida para lotar o Beira-Rio para ajudar a superar o Flamengo, no domingo.

? Não desistiremos. A torcida está conosco e estará contra o Flamengo. Colocaremos 50 mil pessoas no Beira-Rio. Lutaremos até o final. Se tivermos que agarrar na última raiz do capim do Beira-Rio, agarraremos. Enfrentaremos tudo, mas superaremos. Estamos abatidos, mas não o suficiente para desanimar nessa incessante luta para seguir na primeira divisão.

O discurso do vice de futebol tem base na matemática. O Inter acredita que, com 45 pontos, escapará do descenso. Como soma 33, precisa de mais 12. Justamente o que pode alcançar com as quatro partidas restantes em seus domínios: Flamengo (16/10), Santa Cruz (29/10), Ponte Preta (16/11) e Cruzeiro (27/11).

Torcida do Inter comemora vitória contra o Coxa (Foto: Ricardo Duarte / Inter, DVG)Torcida do Inter foi convocada para lotar o Beira-Rio contra o Flamengo (Foto: Ricardo Duarte / Inter, DVG)

A confiança no Beira-Rio é justificada pela energia criada pela torcida nas últimas duas vezes em que o Inter atuou sob seus domínios. Nas vitórias por 1 a 0 sobre Figueirense e Coritiba, estiveram presentes 34.036 e 35.156 pessoas, respectivamente. Carvalho sabe que o grito das arquibancadas é fundamental para segurar os cariocas:

? Respeitamos o Flamengo. Criaremos um clima de decisão, como fizemos nos últimos jogos para buscar os três pontos que deixamos escapar.

Até por isso, a promoção segue inalterada. Os sócios que geralmente pagam 50% do valor do ingresso só precisam fazer o check in que terão acesso gratuito ao jogo.

Fora de casa, a campanha colorada é pífia. Em 15 compromissos, o Colorado só ganhou em duas ocasiões (2 a 1 no São Paulo e 1 a 0 no Santos), ambas sob a batuta de Argel. O último triunfo, na Vila Belmiro, ocorreu no distante 29 de maio. Ainda soma três empates e acumula 10 rodadas, o que resulta em um aproveitamento de 20%.

Em busca de soluções, o Inter volta aos treinos nesta quinta. Celso Roth já sabe que não contará com William diante do Flamengo, em virtude da suspensão pelo terceiro cartão amarelo. Ceará, que tem atuado improvisado na lateral esquerda, surge como o principal candidato a voltar à posição de origem. Por outro lado, Ernando, que ficou fora, voltará a ser o parceiro de Paulão.

Confira as notícias do esporte gaúcho no globoesporte.com/rs


Comentários Facebook