conecte-se conosco


Esportes

Estádios da Copa: conheça Samara, a cidade aeroespacial do Mundial russo

Publicado


Samara é uma das cidades-sede do Mundial de 2018
Yuri Gusev/ Russia Trek

Samara é uma das cidades-sede do Mundial de 2018

Às margens do rio Volga, o maior de todo o continente europeu, Samara é a sexta maior cidade da Rússia e um dos principais centros de engenharia mecânica e metalúrgica, tal como da indústria aeroespacial do país. Tendo sido muito importante durante a Segunda Guerra Mundial, hoje é onde se localiza um dos estádios da Copa de 2018.

Leia também: A seleção com 11 bons jogadores que não veremos na Copa do Mundo de 2018

A cidade abriga uma grande diversidade religiosa e é bastante conhecida por hospedar o Grushinsky, famoso festival de poesia de guitarra desde 1968, e o Kacheli, de rock, desde 2007. O rio que corta a cidade oferece bons espaços de lazer para turistas além de um importante porto. O local de um dos estádios da Copa vai receber seis partidas durante o Mundial russo.

Fundação:  1586

População: 1,164,685 (Censo 2010)

Área:  541,4 km²

Altitude:  117 metros

Código Telefônico: +7 846

Palco da Copa


Arena Cosmos, em Samara, é um dos estádios da Copa do Mundo de 2018
Reprodução

Arena Cosmos, em Samara, é um dos estádios da Copa do Mundo de 2018

Construída no distrito de Radiotsentr no início em 2014, a Arena Cosmos possui inspirações espaciais, sendo assim feita como forma de homenagem ao setor aeroespacial da cidade. O estádio tem capacidade para 44.807 espectadores e irá receber seis partidas do Mundial de 2018.

Capacidade: 44.807

Custo: R$ 1,443 bilhão

Jogos:

17 de junho – Brasil x Suíça – Grupo E
21 de junho – Dinamarca x Austrália – Grupo C
25 de junho – Uruguai x Rússia – Grupo A
28 de junho – Japão x Polônia – Grupo H
02 de julho – Oitavas de final
07 de julho – Quartas de final

Time da cidade


Em russo, Krylya Sovetov significa “asas dos soviéticos”. Fundado em 1942, o time manteve o nome de Krylya Sovetov Kuybyshev até o final da União Soviética. Antes da construção da Arena Cosmos, a casa do Krylya Sovetov era o estádio Metallurg, que tinha capacidade para pouco mais de 30 mil espectadores. No ano de 2004, foram os terceiros colocados da Premier League da Rússia, mas na temporada 2016/17, foram rebaixados para a segunda divisão.

Leia também: Alemanha vai suspender lei do silêncio durante a Copa do Mundo

Turismo

A cidade abriga uma diversidade religiosa e é bastante conhecida por hospedar o Grushinsky, famoso festival de poesia de guitarra desde 1968,  e o Kacheli, de rock, desde 2007. O rio que corta a cidade oferece bons espaços de lazer para turistas.

Pontos turísticos

Jardim Strukovsky: Com vista para o banco do Volga, é um dos locais mais visitados pelos turistas. O mais antigo parque da cidade, é lá onde acontece as mais tradicionais festas e festivais.

Bunker do Stalin: Construído para proteger Josef Stalin durante a Segunda Guerra Mundial, possui 37 metros de profundidade e é um local muito procurado por quem procura conhecer um pouco mais do período da União Soviética.

Samara Embankment:  O dique com vista para o rio Volga, é muitíssimo procurado para quem pretende relaxar, assistir o pôr-do-sol e no verão, se torna a praia de Samara, sendo ideal para se banhar ou praticar esportes. 

Praça Kuibyshev: Considerada a maior praça da Europa, possui 17,4 hectares e é um grande centro de encontro para grandes eventos.

Museu da história espacial:  Samara é o maior centro da indústria aeroespacial da Rússia e no museu, é possível encontrar um foguete Soyuz, réplicas de naves, uniformes espaciais e motores.

Leia também: 20% da população da Islândia solicita ingressos para Copa do Mundo de 2018

Culinária

A sexta maior cidade do país oferece diversas opções de restaurantes típicos, que também trazem no cardápio fusões de cozinhas de todo o mundo. Confira os três melhores restaurantes de culinária russa de Samara, segundo o site especializado Trip Advisor.

Olivye:  O restaurante traz a fusão da tradicional gastronomia russa com a francesa em um ambiente aconchegante com boa comida que pode ser acompanhada de um vinho. Os melhores pedidos ficam por conta de saladas, o famoso peito de pato e saborosos peixes frescos. Os frutos do mar podem ser escolhidos pelo cliente, diretamente do aquário.

Kipiatok:  Pequeno restaurante no centro da cidade, o local remete a um restaurante do final do século XIX. Oferece os antigos e tradicionais pratos da culinária local como schi, uma sopa de repolho, e bliny, panquecas típicas. No entanto, é possível provar pratos comuns inspirados nas cozinhas italiana e grega.

Staraya Kvartira:  Restaurante e museu, o Staraya Kvartira é também conhecido como “Old Flat”, o velho apartamento, em português. Tudo por conta da decoração do local, que é repleto de decorações da época da União Soviética e remete à uma antiga moradia russa. O menu é considerado eclético e alguns pratos são baseados em clássicos do regime comunista, que foram passados de geração à geração.

Custos 

De acordo com a cotação de Fevereiro de 2018, R$ 1 equivale a 17,53 rublos russos. Mas para fazer trocas para a moeda local, a melhor opção é usar dólar norte-americano e euro. Os custos diários na Rússia podem variar de acordo com o seu orçamento. Em uma viagem de baixo custo, é possível gastar cerca de R$ 90 com hospedagem em quartos compartilhados e alimentação em lugares simples. Caso possa gastar um pouco mais, os valores podem chegar à R$ 228 em um dia. Durante um passeio de luxo, os quartos dos melhores hotéis do país podem cobrar mais de R$ 300 a diária e uma refeição com dois pratos em um restaurante mais sofisticado custa, pelo menos, R$ 114.

Como chegar

De avião:  O Aeroporto Internacional de Samara-Kurumoch está ligado em Kurumoch, mas é um dos principais destinos de quem pretende chegar em Samara. Os voos de Moscou para lá tem duração de cerca de 2h.

De trem:  Para ir de trem até Samara , é preciso encarar pelo menos 17 horas de viagem, saindo da capital da Rússia.

De carro/ônibus:  Para ir de carro até um dos estádios da Copa de 2018, a viagem tem duração de cerca de 14 horas. De ônibus, o trajeto pode ser um pouco mais longo.

Comentários Facebook

Esportes

Bicampeão com a escuderia, Niki Lauda é homenageado pela Ferrari em museu

Publicado


niki lauda
Reprodução

Nikki Lauda foi bicampeão com a Ferrari nos anos 1970

Niki Lauda foi um dos maiores pilotos da história da Fórmula 1 e isso não dá para negar, ele deixará saudades aos fãs e às escuderias do automobilismo.

Leia também:  Williams anuncia britânica líder da W Series como piloto de desenvolvimento

Bicampeão com a Ferrari , Niki Lauda recebeu uma homenagem simples e emocionante no museus da escuderia italiana. Na sessão em que estão expostos todos os carros que já foram campeões da Fórmula 1 no Museu Maranello, as luzes foram apagadas e iluminaram apenas a Ferrari 312T com que Lauda venceu o campeonato de 1975.


homenagem da ferrari
Reprodução

Ferrari iluminou o carro em que Niki Lauda venceu seu primeiro mundial de pilotos na F1

O carro tem um significado importante para a equipe, já que o pódio de Niki Lauda rompeu uma série de 11 anos que a Ferrari não vencia um campeonato na F1. O último título tinha sido em 1964 com o britânico John Surtees.

O austríaco de 70 anos, que faleceu no último dia 20 de maio , venceu por três oportunidades o mundial de pilotos da Fórmula 1 . Nos anos de 1975 e 1977 ele conquistou o troféu correndo pela Ferrari, já em 1984 o caneco veio com a McLaren.

Leia também:  Consórcio Rio Motorsport construirá autódromo do Rio de Janeiro; veja mais

Niki Lauda somou 52 pódios em sua carreira, sendo 24 pole positions e 25 vitórias. Encerrou sua carreira nas pistas em 1985. Trabalhou com aviação por um tempo antes de retornar à F1 como consultor técnico extraordinário da Ferrari nos anos 1990. Também atuou como diretor na Jaguar e Mercedes.

Comentários Facebook
Continue lendo

Esportes

CSA não perdoa indisciplina de trio gringo e demite Pablo Armero

Publicado


Torcida do CSA
Reprodução/Instagram

O CSA não perdoou a indisciplina de Armero e o afastou do elenco do clube.

Nesta tarde, a diretoria do CSA definiu o destino do trio de estrangeiros do clube, composto por Armero, Maidana e Manga Escobar. Em nota publicada hoje, a diretoria do time alagoano confirmou que o colombiano Pablo Armero não faz mais parte do elenco da equipe. Os outros gringos foram multados, mas segurião atuando no clube. Confira a nota abaixo:

“O Centro Sportivo Alagoano comunica que, depois do clube tomar conhecimento dos últimos fatos com os atletas Maidana, Manga Escobar e Pablo Armero, tomou a decisão de multar os três atletas em 20%, e afastar o Pablo Armero do seu quadro de funcionários após um entendimento amigável. Maidana e Manga Escobar seguem seus respectivos trabalhos no CSA

Leia também: Trio de estrangeiros deverá deixar o CSA após mau comportamento

A decisão do CSA vem após o trio de jogadores ter sido flagrado por torcedores em um bar na véspera do embarque da equipe para Porto Alegre, onde enfrentaria o Internacional. Maidana e Manga estavam machucados e não seguiriam com o clube.  Já Armero estava relacionado para o jogo que seria disputado.

O trio inteiro foi multado em 20% do salário. Porém, apenas o lateral colombiano foi desligado do CSA . Aos 32 anos, Armero chegou no clube alagoano este ano e disputou apenas quatro partidas, sem marcar nenhum gol. Já Maidana e Manga serão aproveitados pela comissão técnica assim que se recuperarem das lesões que os afastaram dos gramados.

Comentários Facebook
Continue lendo

Ouça Agora

Esporte Amador

Estadual

Mais Esportes

Mais Lidas da Semana