conecte-se conosco


Futebol / CBF

Em clima de Semana Santa, Santos recebe Vasco na Copa do Brasil

Publicado

Nesta Quarta-feira Santa (17), Peixe e Bacalhau se enfrentam pelo jogo de ida da quarta fase da Copa do Brasil, às 19h15, na Vila Belmiro

Santos 1 x 1 Vasco - Brasileirão 2018

Créditos: Ivan Storti/Santos FC

A Semana Santa é uma tradição católica que celebra a paixão, a morte e a ressureição de Jesus Cristo. O período começa no Domingo de Ramos, que relembra a chegada de Jesus a Jerusalém e vai até o Domingo de Páscoa, onde é celebrado a ressureição. Uma das tradições da Semana Santa é não comer carne na sexta-feira, em respeito a morte de Jesus Cristo. E, com isso, um dos alimentos mais presentes na mesa dos brasileiros nesse dia é o peixe, em especial o bacalhau. Peixe? Bacalhau? Aos apaixonados por futebol, isso remete às alcunhas de dois grandes times do Brasil. O Peixe, ou o Santos, encara o Vasco, ou o Bacalhau, na Vila Belmiro nesta Quarta-feira Santa (17), às 19h15. O confronto é válido pela quarta fase da Copa do Brasil.

A campanha dos dois times

 

O Peixe estreou na Copa do Brasil contra o Altos-PI, em Teresina, e já com goleada. O time comandado por Jorge Sampaoli venceu por 7 a 1 e avançou à segunda fase. Com a classificação, teve pela frente o América-RN no Pacaembu e mais um placar elástico. Dessa vez, ganhou por 4 a 0. Na terceira fase, já com jogos em ida e volta, enfrentou o Atlético-GO. O Dragão deu trabalho em Goiânia e derrotou o Santos por 1 a 0. Na volta, no entanto, o Peixe venceu por 3 a 0 na Vila Belmiro.

O Vasco começou a Copa do Brasil com emoção e quase foi eliminado no primeiro jogo. O Gigante da Colina chegou a estar perdendo por 2 a 1 para a Juazeirense-BA até os 45 minutos do segundo tempo, quando Máxi Lopez empatou de pênalti e classificou os cariocas. A segunda fase teve a vitória por 2 a 0 sobre o Serra-ES, em Cariacica/ES. Na última etapa, reeditou o duelo da semifinal da Copa do Brasil de 2011 contra o Avaí e mais uma vez levou a melhor. Ganhou por 3 a 2 em São Januário e por 1 a 0 na Ressacada.

A ligação do Santos com os mares


O apelido de peixe surgiu em 1933, quando em um confronto contra o São Paulo da Floresta (percursor do atual São Paulo), os jogadores alvinegros foram chamados de “peixeiros” pela torcida adversária. Os santistas, ao ouvirem os gritos, aderiram o apelido e responderam cantando que tinha orgulho de ser peixeiros. O animal típico da Sexta-feira Santa chegou a ser mascote do clube por alguns anos, mas foi substituído pela baleia na década de 50. 

A Orca, símbolo utilizado pelo Santos, foi escolhido por representar um super predador e impor mais respeito. Hoje em dia, o Baleião e a Baleinha são os mascotes do Alvinegro Praiano e estão presentes em todos os jogos. 

Mascotes do Santos - Baleião e Baleinha

Mascotes do Santos – Baleião e Baleinha
Créditos: Divulgação Site oficial Santos FC

O nome Santos Futebol Clube, por sua vez, vem da cidade de Santos. E esta tem sua nomenclatura associada a dois fatos da época da colonização. O primeiro foi a Santa Casa de Misericórdia de Todos os Santos, o primeiro hospital das Américas fundado por Brás Cubas. A outra versão é em razão do porto de Santos, que recebeu este nome pois o porto de Lisboa era conhecido da mesma forma. 

Vasco da Gama, a religião e o bacalhau   


Se tem um clube no Brasil que tem ligações fortes com a Semana Santa é o Vasco da Gama. O Gigante da Colina possui sua raiz na religião e inclusive tem a tradição de suspender todas as atividades na Sexta-feira Santa. Além disso, o Vasco também possui uma Capela localizada em São Januário, atrás do gol com placar eletrônico. Ela possui o nome de Capela de Nossa Senhora das Vitórias, padroeira do Clube de Regatas Vasco da Gama.

O apelido de bacalhau, alimento tradicional da Sexta-feira Santa, surgiu na década de 60. As torcidas adversárias o usavam como ofensa, porém a alcunha foi aproveitada pelo cartunista Henfil no Jornal dos Sports, que batizou o personagem vascaíno com o nome. Um português careca e bigodudo era retratado como torcedor do Gigante da Colina.

Capela de Nossa Senhora das Vitórias, em São Januário

Capela de Nossa Senhora das Vitórias, em São Januário
Créditos: Paulo Fernandes/Vasco.com.br

<!–

–>

Fonte: CBF
Comentários Facebook

Futebol / CBF

CBF Academy realiza quinto workshop de Intermediação no Futebol

Publicado

Curso começou nesta quinta (9) pela manhã e segue na sexta e sábado, com objetivo de capacitar e atualizar os intermediários, gestores de clubes e advogados

Workshop de Intermediação de Futebol - CBF Academy

Workshop de Intermediação de Futebol – CBF Academy

Créditos: Laís Torres/ CBF

Workshop de Intermediação de Futebol - CBF Academy

Workshop de Intermediação de Futebol – CBF Academy

Créditos: Laís Torres/ CBF

Workshop de Intermediação de Futebol - CBF Academy

Workshop de Intermediação de Futebol – CBF Academy

Créditos: Laís Torres/ CBF

Workshop de Intermediação de Futebol - CBF Academy

Workshop de Intermediação de Futebol – CBF Academy

Créditos: Laís Torres/ CBF

Workshop de Intermediação de Futebol - CBF Academy

Workshop de Intermediação de Futebol – CBF Academy

Créditos: Laís Torres/ CBF

Workshop de Intermediação de Futebol - CBF Academy

Workshop de Intermediação de Futebol – CBF Academy

Créditos: Laís Torres/ CBF

Workshop de Intermediação de Futebol - CBF Academy

Workshop de Intermediação de Futebol – CBF Academy

Créditos: Laís Torres/ CBF

Workshop de Intermediação de Futebol - CBF Academy

Workshop de Intermediação de Futebol – CBF Academy

Créditos: Laís Torres/ CBF


A quinta edição do Workshop de Intermediação no Futebol começou na manhã desta quinta-feira (8), na sede da CBF, no Rio de Janeiro, e segue na próxima sexta (10) e sábado (11). O curso promovido pela CBF Academy busca capacitar e atualizar os intermediários cadastrados na CBF, gestores de clubes e advogados quanto as normas regulamentares referentes a atividade. Além disso, também tem como propósito expor conceitos éticos e de conduta a serem seguidos pelos profissionais no meio.

O Workshop teve em sua primeira manhã uma palestra conjunta entre André Sica e Américo Espallargas sobre a regulamentação CBF-FIFA. Em um auditório cheio com os 100 alunos do curso, os dois explicaram sobre o trabalho dos intermediários e tiraram diversas dúvidas dos participantes. Presente na primeira edição do Workshop, André reiterou a importância dos cursos da CBF Academy. 

– Eu acho que é um dos grandes cursos do futebol brasileiro. Ele se presta a educar o mercado, atualizar o mercado e fazer com que o ambiente mercadológico fique muito mais sadio. Então, pra mim, este curso, assim como os demais cursos da CBF Academy, são de suma importância pro engrandecimento do futebol nacional – destacou.

Na parte da tarde desta quinta-feira (9), o Workshop de Intermediação no Futebol segue com Roberto Barracco falando sobre o futebol nos EUA e Vantuil Gonçalves, expondo os casos CNRD de intermediários. Nos próximos dias, ainda serão debatidos questões como: técnicas de negociação, profissionalização do futebol feminino, questões práticas de intermediação, análise de desempenho e transição do atleta pós aposentadoria. 

Confira abaixo a programação completa.

Quinta-feira (09/05)

9h – 10h: Welcome Coffee

10h – 13h: André Sica / Américo Espallargas – Regulamentação CBF-FIFA

13h – 14h: Almoço

14h -16h30: Roberto Barracco – Futebol nos EUA

17h – 19h30: Vantuil Gonçalves – Casos CNRD de intermediários

Sexta-feira (10/05)

10h – 13h: Carlos Viveiro – Técnicas de Negociação

13h – 14h: Almoço

14h -16h30: Amauri Nascimento / Romeu Castro – Profissionalização do Futebol Feminino 

17h – 19h30: Victor Eleuterio / Stefano Malvestio – Questões práticas de intermediação

Sábado (11/05)

9h – 11h: Carlos Thiengo – Análise de Desempenho

11h30 – 13h30: Tinga/Fábio Braga/Magrão – Mediação: Amilar Fernandes – Mesa Redonda: Transição do Atleta Pós aposentadoria 

<!–

–>

Fonte: CBF
Comentários Facebook
Continue lendo

Futebol / CBF

Série B do Brasileirão: Vila Nova e Ponte Preta empatam sem gols

Publicado

No Serra Dourada

Série B do Brasileirão: Vila Nova e Ponte Preta empatam sem gols

Pela terceira terceira rodada da Série B, Tigre e Macaca ficam no 0 a 0 em Goiânia. Equipes seguem sem vencer na competição

Vila Nova e Ponte Preta ainda não sentiram o sabor da vitória na Série B do Brasileirão. As duas equipes mediram forças na noite desta sexta-feira (10), e não saíram do zero no Serra Dourada, em Goiânia, pela terceira rodada da competição. Com o resultado, ambos chegam ao segundo empate da Série B. A Ponte vai agora para a 14ª posição, com dois pontos. O Vila vem logo à frente, em 13º colocado, com o mesmo número de pontos.

Confira a tabela completa da Série B do Brasileirão!

Sobraram chances, mas faltou gol na primeira etapa. Os dois times travaram duelo disputado, com oportunidades para os dois lados, mas as redes insistiram em não balançar. Dentre momentos quentes, cada equipe teve ao menos uma chance claríssima de abrir o placar. A primeira foi da Macaca: aos 14 minutos, Matheus Vargas aproveitou vacilo da defesa do Vila, invadiu a área e finalizou cruzado na trave. O Tigre respondeu no minuto seguinte: Juninho recebeu na pequena área e, livre de marcação, mandou para fora.

A etapa final foi um tanto quanto mais lenta em relação ao primeiro tempo. As duas equipes pareciam se estudar um pouco mais, e não repetiram o ímpeto ofensivo de antes. Aos 26, no entanto, a Macaca ficou em vantagem numérica dentro de campo. Isso porque Alan Mineiro recebeu o segundo amarelo – por falta em Edson – e foi expulso pelo árbitro.  O time dono da casa seguiu tentando, mesmo com um a menos, porém a Ponte Preta não deu chances ao rival e saiu do Serra Dourada com a igualdade.

Fonte: CBF
Comentários Facebook
Continue lendo

Ouça Agora

Esporte Amador

Estadual

Mais Esportes

Mais Lidas da Semana