conecte-se conosco


Esportes

Corinthians defende torcedores em pé e bandeirões em carta à Conmebol

Publicado


Torcedores do Corinthians fazem festa em Itaquera
Bruno Teixeira Rolo/Corinthians

Torcedores do Corinthians fazem festa em Itaquera

O Corinthians divulgou nesta sexta-feira (11) uma carta em repúdio às mudanças no Regulamento de Segurança da Conmebol, que proíbe, entre outras coisas, bandeirões com mais de 1,5m de comprimento e 1m de largura nos estádios.

Leia também: Arena Corinthians terá partes do gramado em preto e branco para temporada 2019

“O Time do Povo não pode aceitar o ônus imposto pelas medidas aos reais donos do espetáculo, os torcedores, que frequentemente pagam caro para ir a estádios desconfortáveis, com serviços de péssima qualidade, por imposição de burocratas do futebol latino-americano, que agem como se o fã fosse um estorvo e não a razão de ser do espetáculo”, diz um trecho do texto publicado pelo Corinthians.

O regulamento do ano passado já previa algumas restrições aos torcedores, porém menos do que as publicadas nesse ano. Em 2018 foram 18 proibições, e agora serão 21.

Outro ponto polêmico do Regulamento de Segurança da Conmebol é a venda de ingressos online. A entidade quer que os torcedores adquiram suas entradas apenas por meio digital e com lugares marcados.

Leia também: Corinthians anuncia Emerson Sheik e Vilson como novos gerentes de futebol

Confira a carta na íntegra

O Sport Club Corinthians Paulista manifesta seu descontentamento com as recentes resoluções publicadas pela Conmebol para a Copa Sul-Americana e a Libertadores.

O Regulamento de Segurança para Competições de Clubes 2019, publicado oficialmente pela Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol), no Art. 25, proíbe, dentre inúmeros outros itens, a entrada de bandeiras e bandeirões com mais de 1,5m de comprimento e 1m de largura.

Com o novo regulamento, o número de itens proibidos nos locais dos jogos aumentou de 18 para 21 em 2019. A nova regra também prevê, no Art. 21, que, a partir de 2021, todos os ingressos sejam vendidos na internet e os lugares sejam marcados e com assentos.

O Time do Povo não pode aceitar o ônus imposto pelas medidas aos reais donos do espetáculo, os torcedores, que frequentemente pagam caro para ir a estádios desconfortáveis, com serviços de péssima qualidade, por imposição de burocratas do futebol latino-americano, que agem como se o fã fosse um estorvo e não a razão de ser do espetáculo.

Em vez de penalizar a torcida com o fim das bandeiras e dos bandeirões e dos lugares populares onde costumeiramente os torcedores, em pé, entoam seus cânticos empurrando sua equipe, que fosse feito um estudo pela Entidade sobre as melhores práticas no desenvolvimento dos espetáculos esportivos.

Bom exemplo acontecerá em breve na final do Super Bowl, em Atlanta, quando a gestora da arena hospedeira, nossa parceira IBM, estará mostrando como é colocar à serviço do torcedor todo o aparato de um estádio moderno.

Aviltam a experiência do espectador no estádio, mas nada fazem para melhorar a capacitação da arbitragem ou enriquecer a emoção do fã fiel. Sempre com a complacência da CBF na Conmebol, cujo silêncio perante os desacertos faz dela cúmplice por omissão.

Fiéis à nossa origem, vestidos com o manto alvinegro, seguimos em frente, fazendo nosso trabalho, melhorando as condições do nosso espetáculo, desenvolvendo o negócio do esporte, implementando a boa governança em nosso Clube.

A Conmebol deve despertar para estes os novos tempos: o negócio do futebol vem mudando a uma velocidade alucinante, imposta pela força dos participantes nas redes sociais, que estarão se revelando cada vez mais implacáveis com aqueles que desprezam seus anseios.

Vivemos numa sociedade violenta, é inegável, mas repudiamos as soluções de prateleira, adotadas no Continente, que optam pelo caminho mais fácil de sacrificar os quem têm menos para beneficiar os quem têm mais.

Não vamos aceitar extinguir os locais populares de nossa Arena, nela queremos não só bandeiras e bandeirões, mas também instrumentos musicais e fogos festivos. Acreditamos que o diálogo deve trazer de volta os clássicos com duas torcidas, pois sabemos que, se tratarmos o torcedor como animal, geraremos um selvagem; respeitando-o como cidadão, teremos um torcedor apaixonado.

Leia também: Conmebol revela gafe no troféu da Libertadores ao anunciar o River campeão

Andrés Navarro Sanchez

Presidente do Sport Club Corinthians Paulista

Comentários Facebook

Esportes

Brasil tem dois gols anulados pelo VAR e tropeça diante da Venezuela em Salvador

Publicado

David Neres em ação no Brasil x Venezuela
Pedro Martins / MoWA Press / Divulgação

David Neres em ação no Brasil x Venezuela

Depois de vencer bem a Bolívia na estreia da Copa América , o Brasil voltou a campo nesta quarta-feira diante da Venezuela e tropeçou: 0 a 0 no duelo realizado na Arena Fonte Nova, em Salvador, na Bahia.

Leia também: Guerrero deixa sua marca, Peru vira sobre a Venezuela e vence no Maracanã

No segundo tempo de jogo, o Brasil teve dois gols anulados pelo VAR, um de Gabriel Jesus e outro de Philippe Coutinho – com a ajuda da tecnologia, a arbitragem anotou impedimento de Roberto Firmino em ambos os lances.

Os pouco mais de 42 mil torcedores que foram ao estádio vaiaram a seleção ao final do primeiro tempo e, também, após o apito final. 

Com o empate sem gols, o time comandado por Tite chegou aos quatro pontos dentro da chave A da competição, mesma pontuação da seleção peruana, mas ainda na liderança por ter um gol a mais no saldo. Os venezuelanos têm dois, enquanto a Bolívia ainda não pontuou.

A seleção brasileira volta a campo no próximo sábado, dia 22 de junho, às 16h (de Brasília), quando encara o Peru pela terceira rodada da fase de grupos. O duelo está marcado para Arena Corinthians, em São Paulo.

Volte em instantes para ler o relato completo da partida.

Comentários Facebook
Continue lendo

Esportes

Guerrero deixa sua marca, Peru vira sobre a Venezuela e vence no Maracanã

Publicado

Lance

Guerrero marcou e o Peru venceu a Bolívia
CONMEBOL/REPRODUÇÃO

Guerrero marcou e o Peru venceu a Bolívia

De virada, o Peru garantiu uma importante vitória sobre a Bolívia nesta terça-feira, no Maracanã, pela segunda rodada do Grupo A da Copa América. Após Marcelo Moreno abrir o placar para os bolivianos, a seleção peruana dominou o jogo e, com gols de Guerrero, Farfán e Flores, garantiu os três pontos no Rio de Janeiro.

Com a vitória, o Peru chegou a quatro pontos, enquanto a Bolívia continua sem pontuar. Na última rodada, no sábado, às 16h, os peruanos brigam pela primeira colocação do grupo com o Brasil, enquanto a Bolívia encara a Venezuela.

Começo lento

A partida no Maracanã, começou muito estudada e com poucas chances de gol. Na primeira chegada um pouco mais perigosa do Peru, pelo lado direito com Advíncula, aos oito minutos, o lateral caiu na área pedindo pênalti, mas o juiz, acertadamente, nada deu – e teve sua decisão confirmada pelo VAR. Mas a primeira chance real de gol só foi acontecer aos 20 minutos, com bola parada. Farfán cobrou uma falta colocada, mas a bola só passou perto da trave esquerda de Lampe.

Aniversariante marca

Aos 24, o boliviano Saucedo recebeu na área, dominou no peito e chutou em direção ao gol. Mas a bola bateu na mão de Zambrano. Após uma longa consulta ao VAR – que chegou a gerar vaias por parte da torcida no Maracanã, o árbitro Roddy Zambrano assinalou a penalidade máxima. Comemorando 32 anos nesta terça-feira, Marcelo Moreno foi o incunbido de fazer a cobrança. E a fez com muita qualidade, deslocando o goleiro adversário e abrindo o placar para a Bolívia.

Guerrero aparece

Até então um pouco sumido na partida, o centroavante Guerrero só teve sua primeira chance de gol aos 35. Ele recebeu na linha da pequena área e finalizou de primeira, mas foi travado por Haquín na hora e a bola foi para escanteio. Entretanto, no fim do primeiro tempo, aos 44, o camisa 9 recebeu um belo passe de Cueva, driblou o goleiro Lampe e finalizou para o gol vazio, marcando o seu 12º gol na história da Copa América e empatando a partida.

Centroavante retribui

Se no final da primeira etapa Guerrero recebe um passe de Cueva que o deixou na cara do gol, logo no começo do segundo tempo, aos 9 minutos, foi a vez do atacante do Internacional dar a assistência para o gol da virada do Peru sobre a Bolívia. O centroavante recebeu pela esquerda e fez um cruzamento perfeito na cabeça de Farfán, que subiu alto e mandou para as redes.

Flores decide

Após marcar o segundo gol, a seleção peruana seguiu pressionando a Bolívia. E o goleiro Lampe bem que tentou, mas não evitou que o placar fosse pior para a Bolívia. Ele fez ao menos quatro defesas difíceis e importantes. Mas, no último minuto, Farfán deu um belo passe para o Flores, que finalizou encobrindo o goleiro boliviano, decretando o placar final da partida.

FICHA TÉCNICA
BOLÍVIA 1 X 3 PERU

Estádio : Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 18/06/2019, às 18h30 (de Brasília)
Árbitro : Roddy Zambrano (EQU)
Assistentes : Christian Lescano e Byron Romero (ECU)
VAR : Esteban Ostojich (URU)
Gramado : Bom
Público/Renda: 17.550 pagantes/R$ 4.906.195,00
Cartão amarelo : Chumacero, Roberto Fernández e Haquín (BOL), Guerrero e Zambrano (PER)
Cartão vermelho: –

Gols: Marcelo Moreno, 27’/1ºT (1-0); Guerrero, 44’/1ºT (1-1); Farfán, 9’/2ºT (1-2)

BOLÍVIA : Lampe, Diego Bejarano, Haquín, Jusino e Marvin Bejarano; Justiniano, Saucedo (Roberto Fernandéz, 25’/2ºT), Raúl Castro (Gilbert Álvarez, 35’/2ºT), Saavedra (Leonardo Vaca, 27’/2ºT) e Chumacero; Marcelo Moreno. Técnico : Eduardo Villegas.

PERU : Gallese, Advíncula, Zambrano (Araujo, 39’/2ºT), Abram e Trauco; Tapia, Yotún, Cueva (Flores, 33’/2ºT), Farfán e Polo; Guerrero (Christofer Gonzáles, 44’/2ºT). Técnico : Ricardo Gareca.

Comentários Facebook
Continue lendo

Ouça Agora

Esporte Amador

Estadual

Mais Esportes

Mais Lidas da Semana