conecte-se conosco


Esportes

Bia Ferreira e Arthur Nory conquistam Prêmio Brasil Olímpico

Publicado

source

Aconteceu no final da noite desta terça (10), na Cidade das Artes (Rio de Janeiro), a cerimônia do Prêmio Brasil Olímpico. E os grandes destaques da noite foram a boxeadora Beatriz Ferreira e o ginasta Arthur Nory, escolhidos, respectivamente, como melhores atletas entre as mulheres e os homens em 2019.

As escolhas de Beatriz e de Nory se justificam pelo ótimo ano dos dois. A boxeadora foi campeã mundial, em outubro na China, e pan-americana, em julho no Peru.

Já o ginasta se destacou ao conquistar o lugar mais alto no pódio no mundial realizado em outubro em Sttutgart (Alemanha), na barra fixa.

Homenagem a Oscar Schmidt

Outra homenagem marcante da noite ficou por conta da entrega do Troféu Adhemar Ferreira da Silva ao ex-jogador de basquete Oscar Schmidt. Com cinco participações olímpicas, e um título pan-americano, em Indianápolis (EUA), em 1987, o “mão santa” recebeu merecidamente o troféu destinado aos grandes nomes do esporte brasileiro.

Atleta da galera

Outro atleta a brilhar nesta noite foi Hugo Calderano, do tênis de mesa. O jovem foi eleito o atleta da galera.

Melhores treinadores

Além de atletas, o Prêmio Brasil Olímpico homenageou os melhores treinadores do ano de 2019. Renan Dal Zotto recebeu a honraria pelo trabalho realizado à frente da seleção brasileira de vôlei masculino. Já Mateus Alves foi premiado pela atuação junto à boxeadora Beatriz Ferreira.

Destaques por modalidades

Durante a cerimônia desta noite também foram premiados os melhores atletas de cada modalidade em 2019. Veja os vencedores:

Atletismo: Darlan Romani

Badminton: Ygor Coelho

Basquete 5X5: Erika Souza

Basquete 3X3: Jefferson Socas

Beisebol: Rodrigo Takahashi

Boxe: Beatriz Ferreira

Canoagem Slalom: Ana Sátila

Canoagem Velocidade: Isaquias Queiroz

Ciclismo BMX Freestyle: Cauan Madona

Ciclismo BMX Racing: Paôla Reis

Ciclismo Estrada: Magno Nazaret

Ciclismo Mountain Bike: Henrique Avancini

Ciclismo Pista: Daniela Lionço – Wellyda Rodrigues

Desportos Na Neve: Michel Macedo

Desportos No Gelo: Nicole Silveira

Escalada Esportiva: Cesar Grosso

Esgrima: Nathalie Moellhausen

Futebol: Alisson Becker

Ginástica Artística: Arthur Nory

Ginástica Rítmica: Bárbara Domingos

Ginástica Trampolim: Camilla Gomes

Golfe: Alexandre Rocha

Handebol: Eduarda Amorim

Hipismo Adestramento: João Paulo dos Santos

Hipismo CCE: Carlos Eduardo Parro

Hipismo Saltos: Marlon Zanotelli

Hóquei Sobre Grama e Indoor: Mayara Eiko Ugochi Fedrizzi

Judô: Mayra Aguiar

Karatê: Valéria Kumizaki

Levantamento de Pesos: Fernando Reis

Maratona Aquática: Ana Marcela Cunha

Nado Artístico: Luisa Borges

Natação: Bruno Fratus

Pentatlo Moderno: Iêda Guimarães

Polo Aquático: Gustavo Guimarães

Remo: Pau Vela Maggi – Xavier Vela Maggi

Rugby: Rafaela Zanellato

Saltos Ornamentais: Isaac Souza – Kaique Kauan De Morais Alves

Skate: Pamela Rosa

Softbol: Mayra Sayumi Akamine

Surfe: Gabriel Medina

Taekwondo: Milena Titoneli

Tênis: João Menezes

Tênis de Mesa: Hugo Calderano

Tiro com Arco: Marcus Vinicius D’Almeida

Tiro Esportivo: Leonardo Lustoza

Triathlon: Luisa Baptista

Vela: Kahena Kunze – Martine Grael

Vôlei de Praia: Agatha Rippel – Eduarda Lisboa

Voleibol: Bruno Rezende

Wrestling: Lais Nunes

Edição: Fábio Lisboa
Comentários Facebook

Esportes

Coluna: Uma questão de mercado

Publicado

source

A discussão continua. Semana passada falamos sobre o interesse do Flamengo em receber cota diferenciada para que os jogos dele sejam transmitidos pela TV. A resposta da emissora detentora dos direitos foi de que pagar a mais causaria um desequilíbrio na competição – no caso, o Campeonato Carioca. É um bom argumento, mas um estudo da Pluri Consultoria, divulgado recentemente, mostra que nem sempre existe essa preocupação. E que, na verdade, o interesse do mercado pesa na distribuição de valores.

O estudo abrangeu os oito principais estaduais do país – Paulista, Carioca, Mineiro, Gaúcho, Paranaense, Pernambucano, Baiano e Cearense. Ele mostra que estas competições custam, às emissoras detentoras de direitos de transmissão, R$ 379,6 milhões, distribuídos a todas as equipes participantes. E aqui começa o tal desequilíbrio, que se não repercute diretamente nos estaduais, certamente afeta o desempenho das equipes que disputam as principais competições nacionais.

Por exemplo: o Campeonato Paulista custa R$ 176 milhões, contra R$ 2,8 milhões pagos ao Baiano e R$ 1,7 milhão ao Cearense. O que isso significa? Os quatro grandes paulistas recebem, cada um, R$ 26 milhões só pelo Estadual. O Bahia, que está na Série A, R$ 900 mil; Ceará e Fortaleza, R$ 600 mil. Os paulistas ganham 46 vezes mais que os cearenses.

É evidente que cada Estadual tem um alcance diferente, incluindo aí o mercado publicitário. Mas se pensarmos no tal equilíbrio, as cotas pagas em apenas três meses já criam uma diferença enorme entre equipes que disputam a mesma competição, aliás, a mais importante do calendário – o Brasileirão.

Voltando a falar do Flamengo, a cota proposta ao rubro-negro do Rio era de R$ 18 milhões, a mesma destinada a Fluminense, Vasco e Botafogo. Se pensarmos que o time foi campeão brasileiro e da Copa Libertadores, será que a audiência dos jogos dele não será compatível com a estimada para os clubes paulistas, que vão receber R$ 8 milhões a mais?

Como se vê, é um tema que merece muitas discussões e que não é tão simples de ser explicado. Num país de dimensões continentais, em que torcedores de outras regiões do país torcem, também, por clubes do Sul e do Sudeste, falar em equilíbrio para pagar, quando não há equilíbrio na hora de receber, soa um pouco estranho.

Edição: Marcos Alcântara
Comentários Facebook
Continue lendo

Esportes

Muriel promete força total contra o Rubro-Negro no clássico Fla-Flu

Publicado

source

Não vai ter moleza para o Flamengo. O Fluminense dificilmente vai poupar jogadores para o clássico desta quarta-feira (29), às 20h30min, no Maracanã. Líder do grupo B da Taça Guanabara, com nove pontos conquistados em três jogos, o Tricolor encara como decisão a partida contra o rubro-negro. Para o Flu, enfrentar o time alternativo do rival não diminui a responsabilidade, e quem garante foco total é o goleiro Muriel.

“Eu já vivi isso em outros lugares. Em se tratando de clássico não tá escrito time A, time B, time C. É Fla-Flu. Nós representamos o Fluminense, um grande time, sempre teremos a responsabilidade de entrar para vencer e se eles estivessem com o time titular não seria diferente, então a gente vai entrar com força total. Sabemos que será um jogo difícil, tanto que o Flamentgo tem feito um bom campeonato até aqui, segue invicto, venceu um clássico, não perdeu e é líder isolado no outro grupo. A gente tem se preparado para fazer um grande jogo, sem pensar nos jogadores deles. Nossa obrigação é entrar sempre para vencer, dar o nosso máximo e honrar as cores do Fluminense”.

Ouça na Rádio Nacional

Muriel vai fazer apenas seu segundo jogo em 2020. Após se recuperar de uma fratura na mão esquerda no final de 2019, ele realizou uma pré-temporada maior. Acabou substituído por Marcos Felipe, de 23 anos, nas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro do ano passado e nas duas primeiras partidas do Carioca de 2020. A tendência é que Muriel siga como titular após ter defendido a meta tricolor contra o Bangu, mas se precisar, o goleiro confia no reserva.

“Fiquei muito feliz com o desempenho dele. Já ouvia falar dele há muitos anos, sempre destaque em seleção de base e aqui no Fluminense tinha tido poucas oportunidades. Eu não tinha dúvida que ele ia corresponder bem e tanto no ano passado quanto nesse ano fez bastante a diferença. Ele é muito jovem e suportou um momento de muita dificuldade em 2019 quando estávamos lutando na parte de baixo da tabela, e ele superou com muita personalidade e confiança, o que é importante para um goleiro”.

Apesar de o Flamengo botar um time de garotos em campo, é do Flu a promessa que chama mais atenção no clássico. Miguel, de apenas 16 anos, é até aqui a revelação do Campeonato Carioca e deve ser titular contra o rival. No confronto com o Bangu, o meia foi muito bem, e agora tem a chance de confirmar a empolgação da torcida no primeiro Fla-Flu do ano.

Edição: Cláudia Soares Rodrigues
Comentários Facebook
Continue lendo

Esporte Amador

Estadual

Mais Esportes

Mais Lidas da Semana